produtos forever - a base de aloe vera mais saúde em sua mesa. visite no endereço:

http://www.toni-forever.blogspot.com

quarta-feira, 31 de março de 2010

Antigo observatório solar no peru

Os arqueólogos acreditam que parte de uma enigmática ruína de 2.300 anos no Peru era um observatório solar. O local, chamado Chankillo, inclui uma fileira de 13 torres no topo de uma colina, formando um horizonte dentado e levemente curvado. A revista Science explica que postos de observação foram “posicionados de modo que nos solstícios de inverno e de verão o Sol nascia e se punha sobre as torres nas extremidades da fileira, estabelecendo o começo e o meio do ano solar”. As torres intermediárias marcavam as posições do nascer e do pôr-do-sol em outros períodos. Nesse ambiente seco, saber quando semear era vital, assim “as pessoas [precisavam] identificar a época com certa exatidão”.

Reafirmada a liberdade religiosa na Geórgia

A Corte Européia dos Direitos Humanos condenou o governo do país da Geórgia por tolerar violência religiosa contra as Testemunhas de Jeová. A corte reafirmou o direito das Testemunhas, como religião cristã reconhecida, de se reunirem para a adoração e para o estudo da Bíblia, e ordenou que as vítimas fossem indenizadas pelos danos sofridos e pelos gastos com despesas jurídicas. Entre outubro de 1999 e novembro de 2002, 138 ataques violentos foram feitos contra as Testemunhas de Jeová, que recorreram às autoridades georgianas, registrando 784 queixas. No entanto, não foi feita nenhuma investigação séria a respeito das queixas. A polícia recusou-se até mesmo a intervir com prontidão e proteger as vítimas. A violência diminuiu bastante desde novembro de 2003.

▪ “Seja por causa do aquecimento global seja por alguma outra causa, o número de catástrofes relacionadas com o clima triplicou entre as décadas de 1970 e 1990.” — THE ECONOMIST, GRÃ-BRETANHA.
▪ Um bebê de 10 meses recebeu uma licença de porte de arma do Estado de Illinois, EUA. A licença, solicitada pelo pai, informa que o bebê mede 68,5 centímetros e pesa 9 quilos. Não existe limite de idade para se requerer porte de arma naquele Estado. — CABLE NEWS NETWORK, EUA.
▪ Cientistas transformaram água extremamente comprimida numa forma de gelo “cuja temperatura é mais alta do que o ponto de ebulição da água”. Além do gelo “comum”, existem “no mínimo mais 11 tipos conhecidos de gelo formados sob diversas condições de temperatura e pressão”. — SANDIA NATIONAL LABORATORIES, EUA.

Motoristas ligados no piloto automatico

Motoristas que fazem o mesmo caminho todo dia, em geral dirigem sem usar a parte do cérebro responsável pelo raciocínio consciente, diz o especialista em trânsito Michael Schreckenberg, da Universidade Duisburg-Essen, Alemanha. Em trajetos rotineiros, em vez de se concentrar no trânsito, os motoristas acabam se distraindo com outras coisas. Com isso, eles demoram mais a perceber os perigos. Schreckenberg incentiva esses motoristas a fazer um esforço consciente para ficar alertas e não se distrair no caminho.

Estresse durante a gravidez

Segundo uma pesquisa recente, o estresse que uma mulher grávida passa ao brigar com o parceiro ou ser agredida por ele pode prejudicar o desenvolvimento mental do feto. A professora universitária Vivette Glover, do Imperial College, em Londres, diz: “Constatamos que, quando a mulher sofre abuso emocional do parceiro durante a gravidez, o desenvolvimento futuro do bebê fica comprometido. O pai tem um papel muito importante a desempenhar.” Ela explicou que o relacionamento dos pais “afeta o equilíbrio químico e hormonal do corpo da mãe, que por sua vez afeta o desenvolvimento cerebral da criança”.

O "Relógio do juízo final" é adiantado

O Relógio do Juízo Final, criado pela revista Bulletin of Atomic Scientists (BAS) para ilustrar como a humanidade está próxima de um desastre nuclear, foi adiantado em dois minutos e agora marca 5 minutos para a meia-noite — “hora simbólica do fim da civilização humana”. Nos seus 60 anos de história, o relógio só foi acertado 18 vezes. A última foi em fevereiro de 2002, após o ataque ao World Trade Center em Nova York. O fato de as armas nucleares continuarem a existir e a serem desenvolvidas, bem como a incapacidade de tornar os materiais nucleares seguros, indica “o fracasso em resolver os problemas causados pela tecnologia mais destrutiva na Terra”, declarou a BAS. A revista acrescentou que “as mudanças climáticas são uma ameaça quase tão terrível quanto as armas nucleares”.

Mais prejuízo do que benefício



Alguns anos atrás, políticos e ambientalistas holandeses pensaram ter descoberto a chave para obter energia sustentável: usar geradores à base de biocombustível, em especial o azeite de dendê. As esperanças deles tornaram-se “um pesadelo ambiental”, diz o jornal The New York Times. “O aumento na demanda de azeite de dendê na Europa provocou a derrubada de enormes áreas de floresta pluvial no sudeste asiático, bem como o uso excessivo de fertilizantes químicos nessas áreas.” A fim de abrir espaço para as plantações, foi necessário drenar e queimar turfeiras, liberando “quantidades enormes” de gás carbônico na atmosfera. Segundo o jornal, por causa disso, em pouco tempo a Indonésia se tornou “o terceiro maior produtor de emissões de gás carbônico do mundo, consideradas pelos cientistas como responsáveis pelo aquecimento global”.

▪ “Na Grã-Bretanha, uma criança de 6 anos terá passado um ano inteiro vendo televisão, e mais da metade das crianças de 3 anos tem uma TV no quarto.” — THE INDEPENDENT, GRÃ-BRETANHA.
▪ Na China, 31,4% das pessoas com mais de 16 anos entrevistadas numa pesquisa disseram ser religiosas. Se isso reflete a realidade nacional, esse índice pode indicar que “cerca de 300 milhões de pessoas são religiosas . . . um contraste e tanto com o número oficial de 100 milhões”. — CHINA DAILY, CHINA.

terça-feira, 30 de março de 2010

Maconha - o que causa a seu corpo ?

Considere, por exemplo, os seus pulmões. Mesmo os mais empedernidos defensores da maconha admitem que inalar fumaça não lhe poderia fazer nenhum bem. A fumaça da maconha, assim como a do fumo, abrange diversas substâncias tóxicas, tais como o alcatrão. O Dr. Forest S. Tennant Jr. pesquisou 492 soldados do Exército dos EUA que tinham consumido maconha. Cerca de 25 por cento deles “sofriam dores de garganta por fumarem a cannabis, e por volta de 6 por cento declaravam ter sofrido de bronquite”. Em outro estudo, verificou-se que 24 dentre 30 consumidores de maconha apresentavam, nos brônquios, “lesões características dos estágios iniciais de câncer”.

Na verdade, ninguém pode garantir que tais pessoas realmente contrairão câncer mais tarde. Mas desejaria você correr tal risco? Ademais, a Bíblia diz que Deus “dá a todos vida, e fôlego”. (Atos 17:25) Estaria você mostrando respeito pelo Dador da vida se inalasse deliberadamente algo que prejudicasse os pulmões e a garganta?

Em Eclesiastes 12:6, chama-se poeticamente o cérebro humano de “a tigela de ouro”. Sendo um pouco maior do que seu punho fechado, e pesando apenas um quilo e quatrocentos gramas, o cérebro não é somente o receptáculo precioso de suas recordações, mas também o centro de comando de todo o seu sistema nervoso. Tendo isto presente, observe o aviso dado pelo Instituto de Medicina: “Podemos afirmar com confiança que a maconha produz efeitos agudos sobre o cérebro, incluindo alterações químicas e eletrofisiológicas.” Na atualidade, não existe prova conclusiva de que a maconha prejudique de forma permanente o cérebro. Todavia, não se deveria desprezar levianamente a possibilidade de que a maconha possa, de algum modo, deveras causar danos à “tigela de ouro”.

E que dizer da perspectiva de, algum dia, você se casar e ter filhos? O Instituto de Medicina comunicou que a maconha é reconhecida “como causando defeitos congênitos, quando administrada em grandes doses a animais experimentais”. Se tem os mesmos efeitos sobre os humanos é algo ainda não comprovado. Lembre-se, porém, que os defeitos congênitos (tais como os causados pelo hormônio DES) não raro levam anos para manifestar-se. Assim, ainda resta ver o que o futuro reserva para os filhos — e os netos — dos que fumam maconha. O Dr. Gabriel Nahas afirma que fumar maconha poderia ser uma “roleta genética”. Deveria assumir tais riscos alguém que encara os filhos como “uma herança da parte de Deus”? — Salmo 127:3.

domingo, 28 de março de 2010

Um século faminto de notícias

AS PESSOAS sempre desejaram saber das coisas que acontecem à sua volta. Gostam de ser informadas imediatamente de algo notável que esteja acontecendo. Um famoso correio foi um guerreiro que, em 490 AEC, correu uns 40 quilômetros até Atenas para anunciar a derrota dos exércitos persas. Ele, segundo divulgado, morreu ao chegar, depois de ter anunciado a vitória em Maratona.

Hoje em dia, cerca de 600 milhões de televisores e 1,4 bilhão de rádios levam aos lares em todo o mundo as notícias de acontecimentos que se deram apenas horas ou até mesmo minutos antes. Alguns eventos são vistos ao vivo, no instante em que ocorrem. E muitas centenas de milhões de jornais, bem como dezenas de milhões de revistas, são impressas diariamente em dezenas de línguas, para satisfazer um mundo faminto de notícias.

A invenção de João Gutenberg, feita há menos de 550 anos, de uma prensa de tipos móveis, tornou possível a rápida disseminação das notícias impressas. As folhas de notícias primitivas, contudo, tinham circulação limitada, e, devido ao alto custo, os ricos não raro eram os únicos que podiam dar-se ao luxo de obtê-las.

Logo depois a liberdade de imprensa se tornou uma questão controversa. A Gazette de Renaudot, por exemplo, foi editada no século 17 com a aprovação do rei da França e a maioria das notícias publicadas estava sob a direção do Governo. Poucos jornalistas daquele tempo ousavam desafiar as autoridades de seu país.

Influência Sobre o Público

Não resta dúvida de que os veículos noticiosos também contribuem para moldar os valores sociais. Isto é feito pela apresentação, como aceitáveis, de padrões morais e de estilos de vida que há apenas alguns anos teriam sido rejeitados.

Para exemplificar, no início dos anos 80, um senhor de meia-idade, Testemunha de Jeová, conversou sobre o homossexualismo com seu pai, que então morava não muito distante de São Francisco, Califórnia, EUA. Anteriormente na vida, o pai tinha transmitido ao filho o seu conceito de que o comportamento homossexual era chocante. Mas, então, passadas algumas décadas e influenciado pelos veículos noticiosos, o pai idoso defendia o homossexualismo como um aceitável estilo alternativo de vida.

A Encyclopédie de la sociologie (Enciclopédia de Sociologia) assevera: “O rádio e a televisão podem muito bem . . . inculcar novas idéias, incentivar tendências inovadoras ou problemáticas. Graças à predileção pelas notícias sensacionalistas, tal mídia as realça desde o início e exagera a sua importância.”

Se não quisermos que nossos valores sejam moldados pela mídia, o que podemos fazer? Devemos seguir o sábio conselho encontrado na Bíblia. Isto se dá porque os padrões e os princípios dela permanecem válidos para qualquer sociedade, a qualquer tempo na História. Ademais, eles nos ajudam a compreender quão importante é ser modelado pelos padrões de Deus, e não por idéias populares do mundo moderno. — Isaías 48:17; Romanos 12:2; Efésios 4:22-24.

Grupos de Pressão

A pressão que os anunciantes exercem sobre os editores de notícias atinge ainda mais as notícias que o público recebe. Na década de 40 uma revista dos EUA perdeu anúncios de fabricantes de piano quando publicou um artigo que mostrava as vantagens de se usar o violão para acompanhar o canto. Mais tarde, a revista publicou um editorial contendo altos elogios ao piano! Assim, não deveria surpreender a relativa escassez de artigos que exponham os perigos do fumo, em vista do número de revistas em que os anúncios de cigarros constituem uma das principais fontes de renda.

Outra área de pressão envolve os próprios leitores ou telespectadores. Raymond Castans ex-diretor de uma estação popular de rádio francesa, explicou que seus ouvintes eram, na maioria, conservadores, de modo que era preciso ter cuidado de não deixá-los aborrecidos. Por conseguinte, será surpresa que, num país em que predomine certa religião, fatos desagradáveis sobre ela tenham sido abafados ou amainados?

Grupos ou indivíduos extremistas, que acham que a mídia não dá bastante atenção às suas opiniões, também exercem pressão. Há alguns anos, os terroristas que seqüestraram Aldo Moro, ex-primeiro-ministro da Itália, insistiram que a televisão, o rádio e os jornais italianos dessem ampla cobertura às suas reivindicações. Similarmente, terroristas que seqüestram aviões e fazem reféns, ganham as manchetes de TV e, assim, obtêm a publicidade que almejam.

Os jornalistas às vezes são acusados de serem conformistas, de perpetuarem sistemas e opiniões estabelecidos. Mas, será que podemos esperar que uma indústria que procura granjear o máximo de leitores ou de ouvintes propague idéias e conceitos contrários aos da maioria das pessoas a quem ela serve?

Um problema relacionado é que, em muitos países, os custos ascendentes fizeram com que os diários se coligassem, formando assim literais “impérios da imprensa” concentrados nas mãos de pequenos grupos ou até de uma única pessoa. Se o número de proprietários continuar a diminuir, isto limitará a variedade de opiniões publicadas.

Seleção e Apresentação das Notícias

Os jornalistas e os editores não raro selecionam as notícias que fascinam o público, mas que talvez não tenham real significado. Dá-se prioridade ao que é sensacional e atraente, de modo a aumentar a circulação e elevar os seus índices. Dá-se destaque aos astros e às estrelas do mundo das diversões e dos esportes, não importa que tipo de modelo comportamental eles forneçam aos jovens. Assim, se um deles arranja um amante, casa-se ou morre, isso geralmente é notícia.

Os noticiários de TV geralmente apresentam assuntos que têm apelo visual. O diretor de uma das principais empresas de televisão, conforme noticiado na revista TV Guide, “declarou que ele desejava ‘instantes’ nas transmissões — momentos excitantes e sensacionais para atrair o telespectador, em cada história”. Deveras, atrair os telespectadores é, em geral, de maior preocupação do que educar o público.

A forma como os eventos são apresentados talvez deixe de fornecer o quadro total. Como exemplo, um suplemento semanal do diário francês Le Monde falava de “três televisores explodirem [na França] em apenas quinze dias”. Embora isto fosse apresentado como algo incomum, o número de explosões de televisores naquele período de 15 dias era realmente menor do que o normal.

Também, notícias importantes às vezes podem ser apresentadas de forma tendenciosa. A Parade Magazine noticia que autoridades e políticos não raro “canalizam suas esganações por meio da mídia, distorcendo as notícias, a fim de influenciar o seu modo de pensar. Lidam com fatos em separado, em vez de com a verdade completa”.

Isto incomoda muitos comentaristas de notícias. A francesa Encyclopædia Universalis declara: “Desde o fim da década de 80, os importantes veículos noticiosos, especialmente a televisão, têm sido condenados de todos os lados, por profissionais e por leigos, pelo homem comum e por figuras públicas, pelo que é dito e pelo que deixa de ser dito, pelo modo como é dito e por várias insinuações.”

O livre intercâmbio de notícias em escala mundial também é um problema, e foi assunto de acalorado debate na UNESCO (sigla, em inglês, da Organização das Nações Unidas Para a Educação, a Ciência e a Cultura). Os países em desenvolvimento se queixaram de que só eram mencionados nas notícias quando ocorriam catástrofes ou graves problemas políticos. Depois de dizer que certas agências de notícias ocidentais transmitem muito mais notícias sobre os países do Hemisfério Norte do que sobre os do Hemisfério Sul, um artigo do diário francês Le Monde acrescentava: “Isto tem dado origem a um grave desequilíbrio, que atinge a opinião pública nos países industrializados bem como nos países em desenvolvimento.”

pode-se confiar nas notícias recebidas?





NO DIA 10 de maio de 1927, uma adição especial do jornal francês La Presse divulgava que dois aviadores franceses, Nungesser e Coli, tinham cruzado com êxito o Atlântico no primeiro vôo sem escalas. A primeira página estampava fotos dos dois pilotos, bem como os pormenores sobre sua chegada a Nova Iorque. Mas tal história era falsa. Na realidade, a aeronave se perdera e os pilotos tinham morrido.

Todavia, notícias falsas são mais comuns do que a maioria das pessoas talvez suspeite. Em 1983, notas íntimas, supostamente de Hitler, foram publicadas em importantes semanários, especialmente na França e na Alemanha Ocidental. Elas se provaram falsificações.

Similarmente, em 1980, uma história sobre um jovem toxicômano foi publicada pelo jornal The Washington Post. O relato granjeou para sua autora o prêmio Pulitzer, que é a maior honraria concedida a um jornalista nos Estados Unidos. Mais tarde, porém, revelou-se que tal história era fictícia, uma invenção. Sob a pressão de investigadores, a autora entregou seu pedido de demissão, dizendo: “Peço desculpas ao meu jornal, à minha profissão, à comissão do Pulitzer e a todos os que buscam a verdade.”

Todavia, novas invencionices, ou notícias falsas, não são os únicos obstáculos para que se chegue à verdade com respeito ao que está acontecendo no mundo.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE



Este Blog pode utilizar cookies e/ou web beacons quando um usuário tem acesso às páginas. Os cookies que podem ser utilizados associam-se (se for o caso) unicamente com o navegador de um determinado computador.
Os cookies que são utilizados neste Blog podem ser instalados pelo mesmo, os quais são originados dos distintos servidores operados por este, ou a partir dos servidores de terceiros que prestam serviços e instalam cookies e/ou web beacons (por exemplo, os cookies que são empregados para prover serviços de publicidade ou certos conteúdos através dos quais o usuário visualiza a publicidade ou conteúdos em tempo pré determinados). O usuário poderá pesquisar o disco rígido de seu computador conforme instruções do próprio navegador. O Google, como fornecedor de terceiros, utiliza cookies para exibir anúncios no DE OLHO NO MUNDO.
Com o cookie DART, o Google pode exibir anúncios para seus usuários com base nas visitas feitas a este Blog.
Você pode desativar o cookie DART visitando a Política de privacidade da rede de conteúdo e dos anúncios do Google.
Usuário tem a possibilidade de configurar seu navegador para ser avisado, na tela do computador, sobre a recepção dos cookies e para impedir a sua instalação no disco rígido. As informações pertinentes a esta configuração estão disponíveis em instruções e manuais do próprio navegador".
Este Blog respeita e procura responder todos os e-mails enviados.
Após a leitura este Blog apaga todos os endereços de e-mail enviados.
Este Blog afirma que não utiliza e-mails para políticas de Spam ou de envio de e-mails indesejados.
Este Blog não se responsabiliza pelo conteúdo, promessas e veracidade de informações dos banners colocados pelos seus patrocinadores. Toda a responsabilidade é dos anunciantes.

Tudo nas notícias de um dia

O QUE acha de todo o crime e a violência divulgados nas notícias? É apenas um exagero ou estão as coisas realmente tão sérias que em algumas localidades as pessoas vivem constantemente com medo de serem feridas ou assaltadas? Vejamos as notícias de apenas um dia na cidade de Nova Iorque.

“Assassinato brutal num sinal fechado — a vítima levou 5 tiros na cabeça.” “Tiro arranca a cabeça dum homem num bar da Broadway.” “Assassinos afogam a mulher após obrigá-la a assistir à morte do marido.” “Estripador pode estar dominado pela ‘Obsessão de Matar’.”

Estas são apenas algumas das manchetes de quase duas páginas inteiras de nada mais do que reportagens sobre os mais horríveis assassinatos — tudo nas notícias de um só dia, no Post de Nova Iorque, de 30 de dezembro último. Coisas semelhantes ocorrem em muitas partes do mundo.

Aparentemente preocupados com este tipo de notícias, os editores publicaram uma nota no dia seguinte, intitulada: “O crime grassa: precisamos maior policiamento.” Depois de resumir as notícias do dia anterior, o editorial perguntou: “O que está acontecendo com esta sociedade? O que se passa na mente dos jovens assassinos que não dão apenas um tiro à queima-roupa na cabeça dum homem, mas sim cinco?” Destacou que a situação se torna “crescentemente insegura” e que estamos num “declive rumo à ilegalidade”.

Ruim como foi, apenas dois dias depois o mesmo jornal trouxe a seguinte manchete de primeira página, com letras de uns 5 cm de altura: “10 Assassinatos, início violento de um novo ano.” O artigo iniciava: “O Ano Novo na cidade começou violentamente — com pelo menos 10 assassinatos nas primeiras 24 horas de 1981.”

Nas reportagens ocorriam expressões tais como “absolutamente sem sentido”, “sem nenhuma razão”, “sem aviso” e “cada vez mais brutal”. É de admirar que tantas pessoas vivam cheias de medo?

Tudo isso reflete claramente o que a Bíblia diz a respeito duma época marcada pelo “aumento do que é contra a lei”, de tempos “difíceis de manejar”, quando os homens seriam incontrolados e violentos e passariam “de mal a pior”. As notícias de cada dia somam-se à prova de que vivemos nessa época — nos “últimos dias” deste sistema de coisas. — Mat. 24:12; 2 Tim. 3:1-5, 13.

Telejornais: transmitem mesmo notícias ?

Depois de analisar o conteúdo e a apresentação de 102 telejornais locais, em 52 regiões metropolitanas dos Estados Unidos, uma agência de monitoramento da mídia descobriu que apenas 41,3% do tempo de programação eram notícias. O que os telejornais apresentavam no restante do tempo?

Em média, os comerciais consomem 30,4% do tempo dos telejornais locais. De fato, algumas emissoras pesquisadas transmitiam mais comerciais do que notícias. Além disso, muitas vezes o tempo é preenchido com trivialidades, diz o relatório que resumiu as descobertas do estudo. Sob o título “Trivialidades”, o relatório alistava “o total do tempo gasto em conversas entre os âncoras, anúncios e chamadas das próximas notícias, matérias ‘leves’ ou tolas e mexericos sobre celebridades”. Alguns exemplos de notícias triviais: “Terrível disputa entre tenores”, “Repórter dá uma volta ‘impressionante, incrível, fabulosa’ na montanha-russa” e “Aumenta a venda de patês e pastas para sanduíche”.

De que se compõem as notícias divulgadas? Principalmente notícias policiais, que ocupam 26,9% do tempo. “ ‘Se tem sangue, tem audiência’ continua sendo o lema dos telejornais locais . . . Embora os índices de criminalidade tenham baixado por todos os EUA nos últimos anos, eles não diminuem nos telejornais locais.” Por quê? Segundo os autores do estudo, “crimes são dramáticos e chamam a atenção das pessoas”.

Depois dos crimes vem a cobertura de desastres, como incêndios, acidentes de carro, inundações e explosões (12,2% das notícias), seguida por notícias esportivas (11,4%). A seguir, vêm notícias sobre saúde (10,1%), assuntos de governo (8,7%) e economia (8,5%). Assuntos como educação, meio ambiente, artes e ciência recebem pouca atenção (de 1,3% a 3,6%). A previsão do tempo, por outro lado, ocupa em média 10% do espaço dedicado a noticiários. “Todo o mundo gosta de falar sobre o tempo e os telejornais não são exceção”, comentam os pesquisadores. Eles acrescentam: “Qualquer tempo, bom ou ruim, quente ou frio, seco ou chuvoso, consegue ampla cobertura nos telejornais.”

Mas o relatório menciona algo positivo: cada vez mais jornalistas e telespectadores estão percebendo a necessidade de mudanças. Porém, o estudo admite que essas mudanças não ocorrerão facilmente, porque “as exigências do mercado e a ganância serão sempre uma ameaça ao jornalismo de qualidade

sábado, 27 de março de 2010

PaPa Dá Crédito a Maria

Durante recente visita a Portugal, o Papa João Paulo II fez uma peregrinação especial ao santuário da Virgem de Fátima para marcar o décimo aniversário do atentado contra sua vida, cometido por um pistoleiro em Roma. A tentativa de assassinato se deu no “Dia de Nossa Senhora de Fátima” — dia este que comemora a ocasião, em 1917, quando três crianças em Fátima afirmaram ter tido uma visão da Virgem Maria — assim o papa dá crédito a Maria por lhe ter salvado a vida no dia do atentado a bala. De fato, neste aniversário, uma das balas retiradas de seu corpo foi utilizada para adornar a coroa cravejada de diamantes, usada pela imagem da Virgem de Fátima. O papa também agradeceu à Virgem pelas “mudanças inesperadas” que resultaram no fim do domínio comunista na Europa Oriental nos anos recentes.

Portaria Italiana Sobre Transfusão

De acordo com a Constituição italiana, ninguém pode ser submetido a determinado tratamento médico contra a vontade. Recente portaria do Ministério da Saúde da Itália confirma que este preceito constitucional também se aplica às transfusões de sangue. De fato, esta portaria, datada de 15 de janeiro de 1991, declara que “transfusões de sangue, componentes sanguíneos, ou derivados de sangue, constituem uma prática terapêutica que não deixa de apresentar riscos; por conseguinte, ela exige o consentimento conscientizado do receptor”. Em outras palavras, os pacientes devem conhecer os riscos e têm o direito de recusar sangue. Um adendo à portaria reconhece que as transfusões podem transmitir “doenças infecciosas, tais como a hepatite e a AIDS”, e que os “testes de laboratório nem sempre conseguem detectar pessoas recentemente infectadas”.

Hepatite Tansmitida Pelo Sangue

Recente estudo feito no Japão comprovou o perigo de se contrair a hepatite do tipo C por meio de transfusões de sangue. Diz-se que este tipo de vírus causa a metade dos casos de câncer hepático e de cirrose do fígado no Japão. Segundo o estudo, 8,3 por cento das 962 pessoas que tinham recebido transfusões de sangue eram portadoras de hepatite tipo C, ao passo que apenas 0,7 por cento das 1.870 pessoas que jamais tinham recebido transfusões de sangue portavam tal doença. É surpreendente que 40 por cento dos portadores do vírus não acusaram a presença dele quando submetidos ao teste sanguíneo da Sociedade da Cruz Vermelha do Japão.

Podem Adolescentes Decidir?

São os adolescentes mais jovens suficientemente maduros para fazerem decisões sobre seu próprio tratamento médico? Esta questão muitas vezes surge quando adolescentes que são Testemunhas de Jeová recusam transfusões de sangue. Ao passo que alguns profissionais das áreas jurídica e médica talvez presumam que a resposta seja, em geral, não, recente estudo feito pelo Conselho Carnegie Sobre o Desenvolvimento dos Adolescentes sugere outra coisa. De acordo com a revista Science, sete estudos compararam como os adolescentes e os jovens adultos lidavam com situações que envolviam a saúde, tanto reais como hipotéticas. Os pesquisadores verificaram que existia pouca diferença na capacidade decisória de “adolescentes de apenas 14 ou 15 anos” em comparação com a de jovens adultos (de 18 a 25 anos). O estudo mostrou que eles mostravam a mesma “firmeza e ‘qualidade’ de raciocínio” que seus correspondentes mais velhos.

Ecologia e Jacarés

O governador do Amazonas solicitou ao Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis a permissão para caçar jacarés. Considera-se isto necessário porque, de acordo com a revista Veja, ‘a superpopulação de jacarés está atrapalhando a vida dos seres humanos. Em Nhamundá, por exemplo, existem 200 jacarés para cada habitante — e, na disputa por alimento, nem sempre é o homem que leva a melhor’. Veja explica que ‘os jacarés não só devoram os peixes antes que o pescador apareça, como também chegam a atacar a criação de porcos e galinhas’. Diz o governador: “O homem tem o direito de matar o jacaré quando ele tira o seu alimento.”

Acidentes Causados por carrinhos de Supermercados

O último informe anual para a Comissão de Segurança dos Produtos do Consumidor, dos Estados Unidos, mostra que 32.866 pessoas ficaram feridas em acidentes que envolviam carrinhos de supermercados. Mais de 58 por cento destas pessoas eram crianças. Segundo o The New York Times, “mais de 19.000 crianças, de 4 anos ou menos, precisaram de tratamento no pronto-socorro, devido à gravidade dos ferimentos”. Os pesquisadores verificaram que a maioria dos casos de crianças feridas ocorre quando os pais deixam os filhos sozinhos, com ou sobre os carrinhos.

Lição Que os Faz Refletir

Nos Estados Unidos, onde o dirigir bêbado provoca uma morte a cada 23 minutos, a polícia recorre a certas medidas enérgicas para inculcar nos jovens transgressores a seriedade deste crime. Levam os jovens ao necrotério. Há vários anos que o programa foi implementado no condado (município) de Los Angeles, na Califórnia, onde a toxicomania e o abuso de álcool desempenham importante papel em mais de um terço dos acidentes de trânsito fatais que envolvem jovens. Muitos jovens, depois de visitarem o necrotério e o centro de traumatologia do hospital, e verem um vídeo pavoroso sobre acidentes de trânsito, finalmente se conscientizam do elo existente entre os cadáveres mutilados de vítimas de acidentes e sua própria conduta. Dentre 375 jovens que passaram por este programa, nenhum teve de comparecer de novo perante um tribunal. Existem planos de estender este programa para todo o país.

Aids em Malaui

De acordo com o jornal The Daily Telegraph, de Londres, a Organização Mundial da Saúde informou recentemente que 37 por cento da população de Malaui acha-se infectada pelo HIV, o vírus que causa a AIDS. Isso equivale a quase três milhões de portadores do vírus; mais de sete mil já morreram de AIDS. Uma repórter do Telegraph, em um despacho de Blantyre, no Malaui, escreve que se julga que 90 por cento das prostitutas daquele país estejam infectadas, assim como estão quase 75 por cento do exército e da polícia do país, e cerca de 60 por cento das mulheres que dão à luz nas áreas urbanas. A repórter do Telegraph visitou um hospital no sul de Malaui, onde a metade dos pacientes sofrem de doenças relacionadas com a AIDS. Escreve ela: “Com uma enfermeira para cada 100 pacientes, deixa-se que as vítimas morram da melhor forma possível.”

Suicídios de Homossexuais

Um novo estudo feito por médicos comprovou que a taxa de suicídios entre jovens homossexuais do sexo masculino é incomumente alta, noticiou recentemente o jornal The Boston Globe. O estudo envolvia 137 homossexuais e bissexuais do sexo masculino, com idades que iam dos 14 aos 21 anos, e que moravam no noroeste dos Estados Unidos. Cerca de 30 por cento destes indivíduos tinham tentado o suicídio — muitos por tomar doses excessivas de tóxicos ou por cortar os pulsos. Desses 30 por cento, a metade havia, por mais de uma vez, tentado matar-se. Segundo os autores do estudo, esta taxa de suicídios é cerca de duas a três vezes maior do que a dos heterossexuais. Embora os pesquisadores não fornecessem nenhum motivo específico para este nível de autodestruição, eles comentaram que muitos dos submetidos ao estudo se sentiam atormentados por seu próprio homossexualismo. Outros sofriam devido a abusos sexuais quando crianças, e ainda outros tinham problemas com drogas.

O preço do Celibato

Obrigar os sacerdotes a ficar solteiros “leva a processos de exame de paternidade, a amantes, a crescentes níveis de atividades homossexuais entre clérigos e seminaristas, à solidão e, em alguns casos, à pedofilia”. Esta, segundo o jornal National Catholic Reporter, é a essência dum aviso que Joe Sternak, ex-padre católico da arquidiocese de Chicago, nos Estados Unidos, deu sobre o assunto do celibato numa recente conferência anual. Sternak, que atualmente escreve um livro sobre a pedofilia, faz a acusação de que dioceses em mais de 20 estados utilizam donativos feitos à igreja para cobrir custos de processo e de acordos particulares entre as partes, em casos de abusos sexuais de crianças por parte de sacerdotes.

O problema do Alcoolismo na Finlândia




A Finlândia apresenta o maior consumo per capita de bebidas alcoólicas. De acordo com o jornal The European, na Finlândia, “estão aumentando os acidentes de trânsito relacionados com o álcool, e as estatísticas policiais mostram que a embriaguez é a principal causa do comportamento violento que vai do bater na esposa às brigas de rua”. Com uma população de cerca de cinco milhões de habitantes, a Finlândia consumiu 250 milhões de litros de bebidas alcoólicas em 1990. Isto não inclui os 50 milhões de litros de bebidas alcoólicas, isentas de impostos, compradas ou consumidas nos cruzeiros e nas barcas que navegam pelo mar Báltico. The European declarou que “muitos finlandeses consideram o beber demais como um meio de sobrevivência numa nação que é fria e escura durante quase a metade do ano”.

sexta-feira, 26 de março de 2010

Onde Reina o Aborto

◆ Em 1948, o Japão sancionou uma lei liberal de abortos, destinada a diminuir os problemas de alimentos e de superpopulação. O Professor T. S. Ueno, da Universidade Nihon de Tóquio afirma que agora “o aborto se tornou substituto dos anticoncepcionais”. Dentre os 1,5 milhões de abortos em 1972, “cerca da metade . . . admitem que nem sequer tentaram impedir a concepção”. Falando à Academia Internacional de Medicina Legal e Social em Roma, disse ele: “A vida moral se tornou desordenada. É uma era de sexo livre, e não se respeita a vida do nascituro. Podemos afirmar agora que a lei é ruim.”

38 Filhos!




◆ Quatorze filhos e 24 filhas nasceram da Sra. Raimundo Carnaúba, de 54 anos, de Belém do Pará, desde que ela se casou com 15 anos de idade, segundo nova edição de Guinness Book of Records (Livro de Recordes de Guinness).

Briga na Igreja




◆ O diretor musical de uma Igreja Batista em Lubbock, Texas, EUA, recebeu uma profunda facada no abdômen, durante uma briga que rompeu antes do sermão regular de domingo à noite. A congregação exigiu a demissão do pastor durante uma planejada reunião para tratar de seus negócios. O pastor “deu um soco num homem da congregação” quando começou uma gritaria geral. O diretor musical recebeu uma facada ao tentar separar a briga. A briga já se estendera ao lado de fora quando a polícia chegou. A polícia disse aos repórteres que muitos desses professos servos do Príncipe da Paz “foram rudes com eles”, ao tentarem investigar o assunto, observa o Daily News de Amarillo.

Novos Manuais de Primeiros Socorros

◆ O conhecimento aprimorado das técnicas de primeiros socorros, junto com o fato de que cerca de um quarto da população dos EUA precisa disso a cada ano, levou a Cruz Vermelha Estadunidense a publicar compêndios que recomendam novos processos. Estes incluem derramar água gelada sobre queimaduras de primeiro e segundo grau (Veja Despertai! de 22 de janeiro de 1967); a ressuscitação de boca a boca, de preferência à respiração por flexão dos braços (Despertai! de 22 de janeiro de 1974); e, a pressão exercida diretamente sobre uma ferida, ao invés do torniquete, para parar a sangria. A pressão prolongada de torniquete pode causar a gangrena. Um médico observa que, dentre as 57.000 mortes anuais nas rodovias nos EUA, “muitas ocorrem desnecessariamente porque todo o mundo entra em pânico e ninguém faz o que é certo”.

Benefícios da Escassez de Papel

◆ A corrente escassez de papel trouxe alguns benefícios inesperados. Os jornais noticiam que estão escrevendo e editando melhor as notícias. Aprenderam quais os itens que podem e quais os que não podem remover sem protesto dos leitores. Tentativas de omitir palavras cruzadas, horóscopos e colunas de bridge provocaram fortes reclamações. Dos 295 jornais pesquisados recentemente, 140 disseram que cortaram primeiro as notícias internacionais; 35, as notícias nacionais; 67, reportagens de destaque e notícias femininas; 14, esportes; 11, notícias locais. Algumas notícias publicadas numa cadeia também

Aumentam as Mortes por Câncer nos EUA

◆ “A taxa de mortes por câncer se acelerou em 1972 no ritmo mais rápido em 22 anos . . . uma taxa tripla de aumento da média anual desde 1950. . . . lançou-se a culpa do aumento na maior exposição a substâncias químicas cancerígenas no meio-ambiente”, relata a Sociedade Estadunidense do Câncer. A taxa de mortes de homens e mulheres, segundo se prediz, será de 54: 46 em 1974. “O aumento [desde 1936] entre os homens se deve principalmente a 1.400% de aumento do câncer pulmonar.” Contribui para este aumento, sem dúvida, o fumo, que o Rei Jaime I da Inglaterra, há muito tempo atrás, disse ser “repugnante ao olho, odioso ao nariz, prejudicial ao cérebro, perigoso para os pulmões”.

Pestes entre os Pobres

◆ A Organização Mundial de Saúde (WHO) relata mais de 90.000 casos de varíola até 7 de agosto de 1973, quase o dobro do número no mesmo período em 1972, e o mais elevado total de casos desde que seu “programa de erradicação” começou em 1967. Bangladesh, a Etiópia, a Índia e o Paquistão foram os que mais sofreram. A oncocercose ou cegueira dos rios agora atinge a calculadamente 20.000.000 de pessoas através da África tropical, a Guatemala, o México e a Venezuela, e outros países. Parasitos como fios de linha que vivem na pele “causam coceira tão grave a ponto de levar ao suicídio”, afirma World Health. Tais parasitos também penetram no olho, por fim causando a cegueira. Cerca de 70.000 adultos dentre os 10 milhões que vivem na bacia do Rio Volta, na África Ocidental, afligidos de cegueira, não realizam trabalho produtivo.

Dores Globais da Religião

◆ “A Igreja (Católica Romana) Estadunidense perdeu o fundo”, afirma o sacerdote panamenho T. Leo Mahon. O Bispo anglicano, R. W. Stopford, falando em Johannesburg, África do Sul, anui: “Se formos honestos com nos próprios, temos que admitir que, mui amiúde, a igreja . . . deixa a desejar e é até incoerente em sua mensagem.” O Dr. A. J. Van Der Bent, bibliotecário do Conselho Mundial de Igrejas em Genebra, admite a respeito das esperanças de união denominacional “que a batalha agora se tornou uma luta fictícia”.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Planejamento familiar arriscado




“No [Brasil], 19% dos abortos são feitos sem ajuda médica”, informa O Estado de S. Paulo. “Apesar do aborto ser legal apenas em duas situações [quando a gravidez foi causada por estupro ou põe em risco a vida da mãe], ele é realizado clandestinamente” com substâncias abortivas ou por se perfurar o útero. “A cada 100 mil abortos, cerca de 50 mulheres vão morrer”, diz Rosiane Mattar, professora de Obstetrícia. As principais causas de morte são infecção, hipertensão e hemorragia. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), anualmente 70 mil mulheres morrem por interrupção da gravidez em péssimas condições de higiene. A Dra. Mattar acrescenta: “O aborto não deve ser usado como forma de planejamento familiar. O planejamento deve ser feito com métodos anticoncepcionais e discutido

Orientação parental necessária

Conversando por meio de computadores, não é incomum que crianças recebam mensagens cheias de insinuações sexuais ou propostas diretas. Elas podem se comunicar com travestis e homossexuais. Podem aprender como fazer bombas, roubar o número de cartões de crédito, entrar em outros sistemas de computador e cometer crimes. Certos jogos de computador levam as crianças a um abandono total da realidade, e algumas crianças acabam ficando viciadas neles. Alguns dizem que “a solução reside na tarefa mais intimidadora: ensinar valores”, comenta a The Washington Post National Weekly Edition.

Vacina contra AIDS "não é lucrativa"

O Dr. Piot, diretor de pesquisas e desenvolvimento da Organização Mundial da Saúde, anunciou que, por razões econômicas, alguns laboratórios farmacêuticos abandonaram a busca de uma vacina contra a AIDS em favor de medicamentos para tratar pessoas com AIDS. Relatou-se que os laboratórios temem que se desenvolvessem uma vacina eficaz contra a AIDS, a pressão governamental os obrigaria a entregar o produto ao domínio público, deixando pouca margem de lucro.

Nosso lixo fala

O que o nosso lixo está dizendo? Ele nos diz o tipo de comportamento que nós seguimos. O lixo revela o que consumimos e o que desperdiçamos. “As pessoas que levam vidas rotineiras e predizíveis desperdiçam menos, porque tendem a comprar só o que precisam e consomem o que compram”, disse o The Toronto Star. Surpreendentemente, quando há escassez de algo, “as pessoas, paradoxalmente, desperdiçam muito mais do que quando há abundância disponível”, acrescentou o Star. Por que isso se dá? As pessoas armazenam. Compram mais do que necessitam e então jogam fora o que não usam. Cachorro-quente — montões de cachorro-quente — é o alimento mais comum encontrado no lixo úmido. Papel, uma quantidade enorme de papel, especialmente de jornal, acaba em aterros sanitários. A era do computador acrescentou mais, não menos, papel ao nosso lixo seco. A mensagem geral de nosso lixo é que vivemos numa sociedade desperdiçadora.

Crianças deixadas sem supervisão

Cada vez mais pais australianos deixam os filhos pequenos sozinhos em casa, tomando conta de si mesmos, enquanto saem para trabalhar ou para fazer outras coisas. Essa tendência preocupante veio à tona em especial desde a criação de um serviço telefônico nacional para crianças. Atualmente, ele recebe cerca de 35.000 chamadas por semana de crianças aflitas. Segundo o The Sunday Telegraph, de Sydney, o diretor deste serviço diz: “Recebemos continuamente chamadas de crianças em circunstâncias extremas: crianças deixadas sozinhas sem alimento ou sem qualquer cuidado parental.” O jornal comentou: “[Isso] é uma indiciação da vida familiar moderna tal como a conhecemos.” De fato, algumas dessas crianças são bem pequenas; uma das crianças que ligou para o telefone de emergência era uma menina assustada de quatro anos de idade.

O que torna os professores populares?

“Embora muitas crianças se queixem cada vez mais da escola, a maioria delas ainda tem seu professor preferido”, informa o jornal alemão Nassauische Neue Presse. De fato, 91% das meninas e 83% dos meninos têm um professor preferido. Uma pesquisa de 2.080 alunos entre 7 e 16 anos de idade tentou descobrir as qualidades que tornam os professores populares entre os alunos. Talvez surpreenda a muitos que “um professor que passa pouca lição de casa não é necessariamente o preferido”. Muito mais importante é que o professor seja justo, tenha senso de humor e torne as lições interessantes. Além disso, os alunos gostam de professores que saibam explicar as coisas bem, sejam calmos e compreensivos.

Mantendo as aparências

O que pode o japonês fazer quando não tem suficientes parentes ou amigos para manter as aparências em casamentos e funerais? A resposta é: alugue-os. Os noivos geralmente procuram convidar o mesmo número de convidados. Porém, se os dois grupos forem desiguais ou se um dos dois grupos for pequeno demais para causar uma boa impressão, a noiva ou o noivo podem secretamente contratar os serviços das benriya, literalmente “pessoas úteis”. As benriya fazem quase qualquer tipo de serviço, incluindo substituir parentes e amigos. No caso de funerais, são contratados não como pranteadores profissionais, mas como substitutos, para que os vizinhos não descubram, por exemplo, que os colegas de trabalho do falecido não quiseram vir. A reportagem do Mainichi Daily News mencionou o proprietário de uma empresa de benriya como dizendo que, em certo funeral de um executivo a que ele assistiu, cerca de 60 das 100 pessoas presentes eram benriya. “A família deve ter contatado 3 ou 4 empresas de benriya”, disse.

Cesarianas aumentam

“Dez mil ginecologistas apontam o dedo para a Itália: cesarianas demais”, informa o jornal Il Messaggero, de Roma. Em relação ao número de nascimentos por cesariana, a Itália está em primeiro lugar na Europa e em terceiro no mundo, atrás dos Estados Unidos e do Brasil. Desde 1980, as cesarianas duplicaram na Itália; agora quase uma criança em cada quatro nasce por cesariana. Qual a razão do aumento? Segundo o Il Messaggero, existem duas razões além das médicas: mulheres que desejam evitar partos dolorosos, e médicos com medo de ser processados, que preferem um procedimento menos arriscado. Porém, embora as cesarianas há muito sejam tidas como seguras, muitos médicos crêem que elas sejam usadas demais e nem sempre por boas razões. Carlo Signorelli, da Universidade La Sapienza, de Roma, disse: “Não parece haver correlação entre as cesarianas e a mortalidade perinatal.” E Luciano Movicelli, do Hospital S. Orsola, de Bolonha, comentou: “É preciso pôr de lado a convicção de que a cesariana corresponda a mais segurança porque isso é absolutamente falso.”

Internar toxicômanos?

“O índice mundial de recuperação [de toxicômanos] é de 35% para clínicas consideradas muito boas”, informa a revista Veja. Mas, de acordo com o professor universitário Dartiu Xavier da Silveira: “A internação só é necessária em 10% dos casos, quando o paciente tem algum outro problema clínico associado, como depressão ou neurose. Essa informação é pouco difundida por interesses econômicos.” Diz a revista Veja: “As clínicas podem não acabar com o problema do viciado, mas melhoram sensivelmente o estado financeiro de seus proprietários.” Porém, o psiquiatra José Carlos Galduróz salienta: “Vive-se a utopia de que algo mágico possa resolver todos os problemas.” Ele acrescenta: “Ao internar seu filho em uma clínica, a família está transferindo uma responsabilidade que é sua para outros.”

O veículo de notícias mais exato

Na Austrália, os noticiários da televisão estão perdendo a credibilidade enquanto os jornais estão ganhando. Segundo um estudo sobre a mídia publicado no The Australian, “a televisão [tem] sacrificado muito a exatidão, a confiabilidade e a imparcialidade dos temas na busca de uma ‘boa história’”. Por exemplo, algumas notícias da TV são editadas com videoteipes antigos para tornar a história mais sensacional. Das 500 notícias analisadas, 260 usaram filmes de arquivo, constatou o estudo. Se a reportagem na TV inclui imagens de arquivo, as pessoas normalmente esperam que isso seja indicado, o que nem sempre é o caso. O relatório declara: “A pesquisa realizada pelo Centro de Pesquisas Ray Morgan . . . indica que o número de pessoas que criam que a televisão era o melhor veículo para se obter ‘notícias exatas e confiáveis’ caiu em mais de 12 pontos percentuais, de um auge de 53,7%, em 1986, para 41,5%”, em 1993.

Um planeta único

Há muito os cientistas especulam sobre a possibilidade de existir vida em outros planetas. Presumia-se que as condições que tornam possível a vida na Terra deviam existir em algum outro lugar entre as centenas de bilhões de galáxias do cosmos. A revista francesa Le Nouvel Observateur, porém, diz que agora é cada vez mais evidente que “demasiadas coincidências miraculosas precederam o surgimento do homem na Terra” e que as últimas descobertas a respeito do Universo e da própria Terra “reduziram enormemente a probabilidade, já ínfima, de que o mesmo processo tenha ocorrido em outro lugar”. Comentando a quase impossibilidade matemática de existirem condições idênticas em outro planeta, a revista observa que os cientistas têm certeza de que a vida existe em pelo menos um planeta — o nosso.

quarta-feira, 24 de março de 2010

22.000 Homens da Lei Violam a Lei

● Quase 22.000 policiais em Bombaim, Índia, causaram distúrbios por causa de reivindicações salariais e de benefícios não atendidos. Pelo menos quatro pessoas morreram e muitas ficaram feridas no violento tumulto que durou um dia. Os descontentes homens da lei lideraram distúrbios em que centenas de veículos foram queimados, vitrinas quebradas e lojas saqueadas. Trens de passageiros foram apedrejados, obrigando a interrupção do serviço ferroviário. Foram necessários cerca de 1.000 soldados do governo, junto com 8.000 agentes do comando da polícia que não estavam em greve, para restaurar a ordem.

Cutucando infratores de Estacionamento

● Em muitos países, os motoristas desprezam a notificação ou o talão que indica que infringiram alguma lei de estacionamento, e não pagam a multa. No Japão, em seis grandes cidades, a polícia pôs a funcionar um sistema que obriga as pessoas a comparecerem às delegacias para pagar as multas. Um resistente anel de aço é travado à porta ou ao espelho lateral. Quando o infrator paga a multa o anel é destravado e removido. Os motoristas tendem a pagar a multa para que seja retirado o sinal delator de que são infratores de estacionamento. Opção melhor é obedecer às normas de estacionamento e evitar as multas.

Contrário ao casamento

● O número de filhos ilegítimos nascidos nos 10 países europeus do Mercado Comum aumentou em cerca de 70 por cento desde 1960. Vinte anos atrás apenas uma de cada 22 crianças nascia fora do casamento; hoje é uma de cada 13. A Dinamarca encabeça a lista, onde uma de cada três crianças é de pais não-casados. Seguem-se a Grã-Bretanha, a França e a República Federal da Alemanha. O menor número de filhos ilegítimos é relatado da Bélgica e da Grécia. O jornal alemão Bremer Nachrichten cita o especialista em demografia, professor H. Jürgens, como tendo dito que o crescente número de filhos nascidos fora do casamento acentua a tendência em prol de “emancipar-se do casamento”. O dano causado a incontáveis crianças por essa rejeição do casamento, instituído por Deus, não é mencionado.

segunda-feira, 22 de março de 2010

ÁGUA RUIM, SAÚDE RUIM

Quando Dede, mencionada antes, disse que “a escassez de água está nos matando”, ela falava em sentido figurado. No entanto, a falta de boa água potável realmente mata, bem literalmente. Para Dede e milhões de outros como ela, não resta alternativa senão usar água de riachos e rios, muitos deles mais parecidos com um esgoto aberto. Não é de admirar que, segundo a OMS, a cada oito segundos uma criança é morta por uma doença ligada à água!

Nos países em desenvolvimento, segundo a revista World Watch, 80% das doenças são disseminadas pelo consumo de água contaminada. Agentes patogênicos transportados pela água e a poluição matam 25 milhões de pessoas por ano.

As doenças assassinas causadas pela água — como a diarréia, a cólera e o tifo — fazem o maior número de vítimas nos trópicos. No entanto, as doenças causadas pela água não são exclusividade dos países em desenvolvimento. Em 1993, nos Estados Unidos, 400.000 pessoas adoeceram em Milwaukee, Wisconsin, depois de terem bebido água encanada que continha um micróbio resistente ao cloro. No mesmo ano, micróbios perigosos infiltraram-se nos sistemas de água de outras cidades americanas — Washington, Nova York e Cabool (Missouri) — obrigando os moradores a ferver a água das torneiras.

POLUIÇÃO




Acrescente aos problemas da escassez de água e das demandas de uma população crescente um terceiro agravante: a poluição. A Bíblia fala de “um rio de água da vida”, mas muitos rios hoje são rios da morte. (Revelação [Apocalipse] 22:1) Segundo certa estimativa, a quantidade de despejo líquido — doméstico e industrial — lançada anualmente nos rios do mundo chega a 450 quilômetros cúbicos. Muitos rios e riachos são poluídos do começo ao fim.

Nos países em desenvolvimento, os esgotos poluem praticamente todos os grandes rios. Uma pesquisa envolvendo 200 dos maiores rios da Rússia revelou que 8 em cada 10 apresentavam níveis excessivamente altos de agentes bacterianos e viróticos. Muitos rios e lençóis freáticos de países altamente desenvolvidos, embora não sejam inundados por esgotos, são envenenados por substâncias tóxicas, incluindo os agrotóxicos. Praticamente no mundo todo, países costeiros lançam esgoto em águas rasas do litoral, poluindo seriamente as praias.

Portanto, a poluição da água é um problema global. Resumindo a situação, o livrete Water: The Essential Resource (Água: O Recurso Essencial), da Sociedade Audubon, diz: “Um terço da humanidade labuta num estado perene de doença ou de debilidade resultantes de água impura; outro terço é ameaçado pelo despejo na água de substâncias químicas cujos efeitos a longo prazo são desconhecidos.”

MAIS GENTE, MAIS ÁGUA

Um segundo problema agrava a distribuição desigual de água: o crescimento demográfico faz aumentar a demanda de água. A quantidade de chuvas no mundo inteiro permanece um tanto estável, mas o crescimento demográfico é explosivo. O consumo de água dobrou pelo menos duas vezes neste século, e alguns estimam que poderá dobrar de novo nos próximos 20 anos.

Naturalmente, uma população cada vez maior exige não só mais água potável mas também mais alimentos. Produzir alimentos, por sua vez, exige mais água. E a agricultura precisa competir com as demandas de água da indústria e de particulares. Com a expansão das cidades e das áreas industriais, a agricultura muitas vezes sai perdendo. “De onde virão os alimentos?”, pergunta certo pesquisador. “Como poderemos abastecer 10 bilhões de pessoas se mal conseguimos abastecer 5 bilhões, sendo que já estamos desviando água da agricultura?”

É nos países em desenvolvimento que as populações mais crescem e, em muitos deles, a água já é escassa. Infelizmente, esses países têm menos dinheiro e tecnologia para enfrentar os problemas de água.

UMA DÉCADA DE ESPERANÇA

Em 10 de novembro de 1980, a Assembléia Geral das Nações Unidas falou confiantemente da vindoura “Década Internacional da Água Potável e do Saneamento”. O alvo, proclamou a assembléia, era facultar, até por volta de 1990, o pleno acesso à água limpa e ao saneamento a todos os que vivem nos países em desenvolvimento. Em fins da década, cerca de 134 bilhões de dólares haviam sido gastos para levar água limpa para mais de um bilhão de pessoas, e sistemas de esgoto sanitário para mais de 750 milhões — um feito impressionante.

No entanto, esses ganhos foram anulados pelo crescimento demográfico de 800 milhões de pessoas, nos países em desenvolvimento. Assim, por volta de 1990, restavam mais de um bilhão de pessoas sem água limpa e saneamento adequado. Essa situação difícil parecia ecoar as palavras da rainha a Alice, no conto infantil Através do Espelho: “Você precisa correr o mais rápido possível, para ficar onde está. Se quiser ir para algum lugar, é preciso correr no mínimo duas vezes mais depressa!”

Desde 1990, a melhora geral na sorte dos sem água e saneamento tem sido, segundo a OMS, “fraca”. Sandra Postel, quando vice-presidente de pesquisas no Worldwatch Institute, escreveu: “Ainda é uma grave falha moral que 1,2 bilhão de pessoas não possam beber água sem correr o risco de pegar uma doença ou de morrer. A razão não é tanto a escassez de água ou tecnologias inadequadas, mas sim a falta de compromisso social e político para suprir as necessidades básicas dos pobres. Seriam necessários uns 36 bilhões de dólares a mais por ano, equivalente a cerca de 4% dos gastos militares do mundo, para levar a toda a humanidade aquilo que para a maioria de nós é corriqueiro — boa água potável e saneamento sanitário.”

ALGUNS TÊM, OUTROS NÃO

Portanto, embora exista muita água doce no mundo, sua distribuição é desigual. Este é o primeiro dos grandes problemas. Por exemplo, segundo cálculos de cientistas, a Ásia tem 36% da água que enche os lagos e rios do mundo, mas esse continente abriga 60% da população mundial. Em contraste, o rio Amazonas contém 15% das águas fluviais do mundo, mas apenas 0,4% da população mundial vive suficientemente perto para utilizá-las. Também desigual é a distribuição de chuvas. Há regiões da Terra permanentemente secas; outras, embora não sejam sempre secas, sofrem estiagens periódicas.

Muitos especialistas acreditam que os humanos podem causar certas mudanças no clima, que afetam as chuvas. O desmatamento, o cultivo e pastejo excessivos desnudam a terra. Alguns argumentam que isso faz o solo refletir mais luz solar para a atmosfera. Resultado: o ar esquenta, as nuvens se dispersam e as chuvas diminuem.

O solo desnudo pode também diminuir as chuvas, pois boa parte da chuva que cai sobre as florestas é de água que se evaporou da própria vegetação — das folhas das árvores e da vegetação rasteira. Ou seja, a vegetação age como enorme esponja que absorve e retém a água das chuvas. A remoção das árvores e da vegetação rasteira diminui a disponibilidade de água para formar nuvens de chuva.

Exatamente até que ponto as ações humanas afetam as chuvas ainda é um tema polêmico; é preciso mais pesquisas. Mas, uma coisa é certa: a escassez de água é ampla. Já ameaça a economia e a saúde de 80 países, alerta o Banco Mundial. E já são 40% dos habitantes da Terra — mais de dois bilhões de pessoas — que vivem sem água limpa nem saneamento.

Diante da escassez de água, as nações ricas em geral usam seus recursos para evitar o pior. Constroem represas, empregam cara tecnologia para reciclagem da água, ou até mesmo dessalinizam a água do mar. As nações pobres não têm tais opções. Muitas delas precisam escolher entre racionar a água limpa, que pode inibir o progresso e a produção de alimentos, e reutilizar água não-tratada, que resulta na propagação de doenças. Como a procura de água aumenta em toda a parte, o futuro parece bem sombrio.

ÁGUA - ONDE A CRISE É MAIOR

MARY, que vive nos Estados Unidos, começa o dia com um banho de chuveiro, escova os dentes com a torneira aberta, dá descarga no vaso sanitário e lava as mãos. Mesmo antes do café da manhã ela talvez já tenha usado água suficiente para encher uma banheira mediana. No fim do dia, Mary, como muitos outros que vivem nos Estados Unidos, consumiu uns 350 litros de água, que daria para encher duas vezes e meia uma banheira. A distância que a separa de água limpa e farta é a torneira mais próxima. Sempre tem; para ela, isso é corriqueiro.

Para Dede, que vive na África Ocidental, a história é outra. Ela levanta-se bem antes do amanhecer, veste-se, equilibra uma lata grande na cabeça e anda uns 8 quilômetros até o rio mais próximo. Ali ela se banha, enche a lata de água e volta para casa. Essa rotina diária leva umas quatro horas. Na hora seguinte, ela filtra a água para remover parasitos e divide-a em três recipientes — um para beber, outro para uso geral e ainda outro para seu banho, à noite. A roupa tem de ser lavada no rio.

“A escassez de água está nos matando”, diz Dede. “Considerando que gastei quase a metade da manhã para apanhar água, quanto tempo do dia ainda resta para a lavoura ou outras atividades?”

A situação de Dede não é ímpar. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tempo gasto anualmente por multidões de mulheres e crianças que apanham água em fontes distantes, muitas vezes poluídas, chega a mais de dez milhões de anos!

domingo, 21 de março de 2010

ÁGUA MILAGROSA POLUÍDA

● “A ‘água milagrosa’ de Ransbach [Alemanha] — a água que supersticiosos dizem que recupera a visão de cegos e os movimentos [do corpo] de paralíticos — não só não é milagrosa nem mineral . . . mas descobriu-se que nem potável é”, publicou o diário La Vanguardia, de Barcelona. O artigo explicou que a contaminação da água devia-se à infiltração de fossas cépticas e ao lixo deixado por visitantes.

CLIMA TURBULENTO

● Em todo o mundo, o tempo foi chuvoso, turbulento e imprevisível, no ano passado. Na América do Sul uma série de aguaceiros provocaram danos em algumas cidades, até mesmo resultando em lagoas de esgoto nas ruas. Tempo incomum devastou instalações pesqueiras no Peru, destruiu milhões de aves oceânicas e tirou a vida de centenas de pessoas quando deslizamentos de terra sepultaram aldeias. Guaiaquil, Equador, conhecida por seus arredores desérticos, foi inundada por precipitações pluviais de 2.540 mm em apenas poucos meses. O rio Reno, na Alemanha Ocidental, transbordado por causa das chuvas, atingiu a altura recorde de 7,1 metros, inundando casas e transformando ruas em canais na área urbana de Colônia — a pior enchente na Alemanha em 36 anos. Muitas partes dos Estados Unidos tiveram a época mais chuvosa de que há registro.

Por que tal devastação climática global? Peritos em condições climáticas estão perplexos. Alguns culpam El Niño, o fenômeno de correntes em geral quentes que se deslocam do Peru. Outros apontam para o alto número de erupções vulcânicas no ano passado, 22, que vomitaram ácido sulfúrico na atmosfera, possivelmente alterando a entrada de energia solar na terra. Ou culpam o último inverno como tendo sido o menos frio em 25 anos em grande parte das latitudes norte temperadas.

EFEITOS DA DESNUTRIÇÃO

● Todo dia a desnutrição mata 40.000 crianças na África, Ásia e América Latina, e isso à parte de qualquer morte causada por fome, segundo documento publicado recentemente pela UNICEF. O relatório alista a desidratação e a infecção causadas por diarréia como principais causas de morte. Diz que quando as mães se confrontam com esses males, elas mui freqüentemente reduzem o alimento, sólido ou líquido, que dão a seus filhos, destarte contribuindo sem o saberem para a desnutrição. Segundo a UNICEF, a falta de água limpa, lavagem irregular das mãos, higiene precária e falta de esclarecimento resultam em que a criança mediana do Terceiro Mundo seja acometida de diarréia de 6 a 16 vezes por ano.

MUDANÇA DE PUDOR NO JAPÃO

● A revolução sexual se tem infiltrado na sociedade japonesa e está minando o tradicional pudor japonês. Uma reportagem na revista japonesa Gendai estima que de 7 a 10 por cento das mulheres casadas são infiéis e que o adultério entre mulheres de 30 a 40 anos de idade aumenta vertiginosamente. Embora essa cifra de infidelidade seja agora mais baixa do que os índices de muitos países industrializados, a reportagem prediz que o índice japonês vai disparar. Sem dúvida a revolução sexual tem contribuído para o índice de divórcio no Japão, de um dentre cada 4,5 casamentos, e do aparecimento de uma profissão nova no Japão — conselheiros sobre divórcio.

CRISTÃOS E HITLER

● Um novo livro intitulado Katholische Kirche und NS-Staat — aus der Vergangenheit lernen? (A Igreja Católica e o Estado Nazista — Aprender do Passado?) foi recentemente publicado na República Federal da Alemanha. Na sua crítica sobre o livro o jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung comenta: “De mérito especial é que Lemhöfer [o autor] — fez referência aos poucos católicos que se recusaram a prestar serviço militar sob Hitler. Franz Jägerstetter, do Tirol, o mais bem conhecido de todos, foi mais tarde reabilitado durante o Concílio Vaticano Segundo. Por anos seu testemunho havia sido suprimido, contudo, pois isso teria significado admitir — como o bispo Fliesser de Linz admitiu — que os fervorosos Estudantes da Bíblia [Testemunhas de Jeová] e os adventistas, que como grupo rejeitaram o serviço militar, foram os maiores heróis e os melhores cristãos.”

sábado, 20 de março de 2010

MÚMIA COM PRÓTESE NO DEDO DO PÉ




“Foi encontrada uma prótese no dedo do pé de uma múmia e tudo indica que ela foi usada em vida há uns 2.500 anos”, segundo reportagem no The Sunday Times de Londres. O Dr. Nicholas Reeves descreve o dedo artificial do pé, feito de linho impregnado com cola de origem animal e gesso, como “de alta qualidade, muito bem projetado, feito com engenhosidade, durabilidade e, com certeza, sob medida”. O dedo do pé tem unha e a cor é semelhante à da pele. Foram feitos oito furos no dedo para permitir a fixação no pé. Esses furos seguem o formato de Y, como as tiras de uma sandália de dedo, que ao ser usada, escondia os furos.

PROBLEMAS COM A EDUCAÇÃO NA ÁFRICA

Mais de 40 milhões de crianças na África subsaariana não vão à escola, segundo a Agência de Notícias All Africa. Uma série de problemas abala a rede de ensino. Um desses, em conseqüência dos problemas econômicos, é que em muitas escolas há falta de água e poucos, ou nenhum, sanitários. Faltam livros didáticos e os professores têm pouco preparo. Além dos problemas econômicos, existe uma grande incidência de gravidez entre as adolescentes, o que vem a ser a maior causa de evasão escolar. A Aids também causa um impacto negativo na freqüência à escola. “O aumento de casos de Aids entre os adolescentes se deve a uma vida sexual ativa precoce”, diz o Africa News. Por outro lado, há meninas que não contraíram Aids, mas que precisam ficar em casa para cuidar de parentes com a doença. O Dr. Edward Fiske, especialista em educação fundamental para a Unesco, disse: “Sem instrução escolar, o futuro da maioria dos países subsaarianos está ameaçado.”

CASAMENTO EM QUEDA NOS ESTADOS UNIDOS

Um estudo realizado pelo Projeto Nacional sobre o Casamento, da Universidade Rutgers, constatou que nunca a taxa de casamentos nos Estados Unidos esteve tão baixa, segundo o que está registrado no site do Washington Post, na Internet. O mesmo estudo observou que logo após a Segunda Guerra Mundial 80% das crianças no país eram criadas pelos dois pais biológicos. Hoje, esse número caiu para 60%. “Nas últimas duas décadas, aumentou de 33% para 53% o número das adolescentes que dizem ‘valer a pena’ ter um filho sem ser casada”, diz o relatório. Não é de surpreender que tenha acrescentado que “o casamento como instituição está em grandes apuros”.

POPULAÇÃO DA ÍNDIA CHEGA A UM BILHÃO

A população da Índia passou o marco de um bilhão em agosto de 1999, segundo a Divisão de Crescimento Populacional das Nações Unidas. Em pouco mais de 50 anos, a população da Índia triplicou. Se continuar a crescer no ritmo de 1,6% por ano, em cerca de quatro décadas a Índia alcançará a China, a nação mais populosa do mundo. “A China e a Índia já têm mais de um terço da população do mundo”, relata The New York Times. Em menos de meio século, a expectativa de vida na Índia subiu de 39 para 63 anos.

INFORMAÇÕES DIGITAIS NÃO DURAM

Há muitos anos os técnicos em computação vêm dizendo que armazenar informações em forma digital é mais seguro do que armazenar em papel. No entanto, os bibliotecários e arquivistas não concordam mais com isso. “Estamos perdendo muita matéria científica e histórica devido à desintegração e aos sistemas que se tornam obsoletos”, diz a revista Newsweek. Sistemas de armazenamento digital como unidades de disco são sensíveis ao calor, à umidade, à oxidação e aos campos magnéticos. E dependendo das condições de armazenamento, a fita magnética não dura mais do que uma década, diz a revista. Outra dificuldade para os que querem preservar informações em forma digital são as rápidas mudanças da tecnologia. O hardware para armazenar dados muda tão rápido que em pouco tempo os sistemas se tornam obsoletos. Abby Smith, do Conselho sobre Recursos de Biblioteca e de Informação, diz: “Armazenar informações vai ser quase impossível, a não ser que montemos um museu de unidades de leitura de fita magnética e de PCs [computadores pessoais].”

POLUIÇÃO DO AR É MORTAL

“Na Europa, o trânsito nas estradas é o que mais causa poluição, e em alguns países mais pessoas morrem em decorrência da poluição do ar do que em acidentes de trânsito”, relata a agência de notícias Reuters. Segundo pesquisa da Organização Mundial da Saúde, anualmente 21.000 pessoas na Áustria, na França e na Suíça têm morte prematura em conseqüência das doenças respiratórias ou cardíacas causadas pela poluição do ar. Em outro relatório, estima-se que em 36 cidades da Índia, 110 pessoas por dia morrem prematuramente em resultado da poluição do ar.

DISPARA A TAXA DE SUICÍDIO NO JAPÃO

No Japão, mais pessoas cometeram suicídio em 1998 do que em qualquer outro ano, segundo reportagem do jornal The Daily Yomiuri. A Agência Nacional de Polícia, no Japão, relatou que em 1998, 32.863 pessoas se suicidaram — número três vezes maior do que o total de mortos em acidentes de trânsito. Acredita-se que esse aumento se deve principalmente aos problemas financeiros causados pelo desemprego que vem assolando o país devido à recente recessão econômica. O suicídio é a sexta causa de morte no Japão.

sexta-feira, 19 de março de 2010

'ISOLADAS DO MUNDO'




Cientistas israelenses acreditam ter descoberto numa caverna oito novas espécies de invertebrados que “ficaram isoladas do mundo exterior” por incontáveis séculos, relata o jornal The Jerusalem Post. Escavadores que trabalhavam numa pedreira encontraram uma pequena abertura que levava a uma caverna de uns dois quilômetros e meio de comprimento, que tinha uma câmara com um lago. Algumas das novas espécies encontradas se pareciam com escorpiões. Entre elas havia dois crustáceos de água salgada, dois de água doce e quatro espécies terrestres.

"ESTUDANTES - FANTASMAS"

O jornal Le Figaro relata que, numa universidade francesa, de 10% a 20% dos alunos matriculados no primeiro ano de literatura “nunca aparecem nas aulas”. Alguns se aproveitam da condição de estudante para obter benefícios do seguro social e descontos em viagens de avião, hotéis, transportes públicos e cinemas. Para isso, esses “estudantes-fantasmas” se matriculam em cursos pouco procurados, tais como bielo-russo, finlandês ou suaíli. Essas matrículas “falsas” são comuns porque não se faz um controle das presenças. Segundo o jornal, esses “alunos” se matriculam via internet e recebem suas carteiras de estudante em poucos dias.

A ESTRADA DE FERRO MAIS ALTA DO MUNDO

A estrada de ferro mais alta do mundo, inaugurada em julho de 2006, tem uns 4 mil quilômetros entre Pequim e Lhasa, capital do Tibete. De acordo com o The New York Times, “essa ferrovia é uma maravilha da engenharia, que passa por terrenos congelados instáveis e se eleva a mais de 4.800 metros acima do nível do mar”. Um dos desafios vencidos pelos engenheiros foi conseguir manter o chão sob os trilhos congelado durante todo o ano para reduzir a instabilidade. Por causa das grandes altitudes é necessário fornecer ar para as cabines de passageiros, que também são equipadas com suprimento individual de oxigênio.

DIABETES - UMA EPIDEMIA MUNDIAL

O jornal The New York Times relata que, segundo dados da Federação Internacional de Diabetes, nos últimos 20 anos o número de pessoas diagnosticadas com diabetes ao redor do mundo aumentou de 30 milhões para 230 milhões. Entre os dez países com a maior taxa de diabéticos, sete são países em desenvolvimento. “O diabetes é uma das maiores calamidades para a saúde que o mundo já presenciou”, disse o Dr. Martin Silink, presidente da federação. De acordo com o jornal, “em algumas das nações mais pobres do mundo, a doença é uma sentença de morte rápida”.
▪ Segundo certo estudo, “pessoas que dirigem enquanto falam ao celular, mesmo com viva-voz, ficam tão limitadas quanto alguém bêbado”. — AGÊNCIA DE NOTÍCIAS REUTERS, EUA.

▪ Nos primeiros cinco meses de 2006, ocorreram 30.200 assaltos à mão armada em ônibus públicos na Cidade da Guatemala. Quatorze motoristas ou cobradores e dez passageiros foram mortos. — PRENSA LIBRE, GUATEMALA.

▪ Dos 124 países que participaram de uma pesquisa da OMS sobre como se fazem as coletas e os testes de sangue, 56 “não examinavam todo o sangue doado para detectar o HIV, a hepatite B e C e a sífilis”. — ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE, SUÍÇA.

▪ O número de australianos que moravam juntos antes de se casar aumentou de uns 5% nos anos 60 para um pouco mais de 70% em 2003. — UNIVERSIDADE DE MELBOURNE, AUSTRÁLIA.

quinta-feira, 18 de março de 2010

ACATAR OS AVISOS FEZ A DIFERENÇA

ERA quarta-feira, 24 de agosto de 2005 — um dia tipicamente quente e úmido em Nova Orleans, Louisiana, EUA. Alan e sua família foram passar alguns dias em Beaumont, Texas, a mais de 300 quilômetros ao oeste. Levaram roupa para cinco dias. Alan explica: “Não tínhamos ouvido falar nada sobre o furacão Katrina, que naquela ocasião já estava se formando ao leste da Flórida. No entanto, na noite de sexta-feira ficou evidente que Nova Orleans seria atingida por um furacão de categoria 4 ou 5.”

No domingo, 28 de agosto, ficou claro que a tempestade chamada Katrina seria um furacão dos mais fortes. O prefeito de Nova Orleans mandou que todos deixassem a cidade. Em resultado disso, milhares de carros foram lentamente para o norte e para o oeste, congestionando as estradas. Milhares de pessoas que não tinham carro fugiram para abrigos ou para o grande estádio Superdome. Algumas decidiram não sair de suas casas e esperar até que a tempestade passasse.

AS DUAS FACES DO TSUNAMI

As ondas normais, geradas pelo vento, nunca se deslocam a mais de 100 quilômetros por hora e, em geral, são muito mais lentas. “Os tsunamis, por outro lado”, diz o livro Tsunami!, “podem se deslocar com a rapidez dum jato comercial, a impressionantes 800 quilômetros por hora ou mais nas águas profundas duma bacia oceânica”. Mas apesar da velocidade, eles não são perigosos em águas profundas. Por que não?

Primeiro, porque em mar aberto cada onda em geral tem menos de três metros de altura e, segundo, porque a crista de uma onda às vezes fica a centenas de quilômetros da crista da próxima, resultando numa ondulação suave. Assim, os tsunamis podem passar debaixo de navios sem sequer serem notados. O comandante de um navio ancorado ao largo da costa de uma das ilhas havaianas nem percebeu que um tsunami passara por ele até que viu ondas enormes arrebentando na praia. Uma regra de segurança para os navios no mar é ficarem em águas com pelo menos 100 braças (180 metros) de profundidade.

O tsunami mostra sua outra face quando chega a águas rasas ao se aproximar de terra firme. Ali, a fricção com o leito oceânico faz a onda perder velocidade, mas não por igual. A parte de trás está sempre em águas mais profundas do que a parte da frente e por isso se desloca mais rápido. Com isso, a onda se comprime: à medida que a sua velocidade diminui, a altura aumenta. Enquanto isso, as ondas que vêm atrás na série de ondas alcançam as primeiras, amontoando-se com elas.

No estágio final, o tsunami talvez arrebente na costa como um vagalhão ou como um paredão de água, mas o mais comum é ele assumir a forma de uma inundação semelhante à maré, que sobe rápido e bem acima no nível da maré alta. Sabe-se de casos em que a água subiu mais de 50 metros acima do nível normal do mar e carregou detritos, peixes e até pedaços de coral centenas de metros terra adentro, destruindo tudo no caminho.

Nem sempre o primeiro sinal da aproximação de um tsunami é o surgimento de uma onda crescente que se dirige rapidamente para a praia, e isso engana a muitos. Pode ocorrer exatamente o oposto: uma maré incomumente baixa que seca praias, baías e portos e deixa peixes se debatendo na areia ou no lodo. O que determina a aparência inicial do tsunami é que parte da onda atinge a praia primeiro: a crista ou a cava (depressão).

O QUE É UM TSUNAMI ?

Tsunami é uma palavra japonesa que significa “onda do porto”. É “um termo apropriado”, diz o livro Tsunami!, “visto que essas ondas gigantescas muitas vezes trouxeram morte e destruição aos portos e às vilas costeiras no Japão”. O que torna essas ondas incomuns tão fortes e grandes?

Os tsunamis às vezes são chamados de ondas de maré. Estritamente falando, porém, ondas de maré são apenas os movimentos periódicos das águas do mar, pelo qual elas sobem ou descem em relação a um ponto fixo no solo. As marés são causadas pela atração gravitacional do Sol e da Lua. Nem as grandes ondas produzidas pelos ventos de tempestade — algumas das quais têm mais de 25 metros de altura — se comparam aos tsunamis. Se você mergulhasse sob uma onda de maré, notaria que a força dela diminui com a profundidade. A certa profundidade, a água mal é agitada por ela. Os tsunamis são diferentes. Seus efeitos vão da superfície até o leito oceânico, mesmo que o mar tenha quilômetros de profundidade.

O tsunami se estende até o fundo porque em geral é causado por violentas atividades geológicas no leito oceânico. Por essa razão, os cientistas também chamam os tsunamis de vagas, ou ondas, sísmicas. Às vezes, o fundo do mar se ergue, empurrando para cima a coluna de água sobre ele e criando uma ondulação suave, que pode se espalhar por mais de 25.000 quilômetros quadrados. Outras vezes, o leito oceânico afunda, criando abruptamente uma depressão na superfície do oceano.

Seja como for, a gravidade faz com que a água afetada oscile para cima e para baixo, num movimento que dá origem a várias ondas concêntricas, como aquelas formadas quando se joga uma pedrinha num lago. Isso acaba com o mito popular de que os tsunamis são apenas incomuns ondas solitárias. Pelo contrário, eles em geral se espalham no que é chamado de série de ondas de tsunami. Os tsunamis também podem ser causados por erupções vulcânicas ou deslizamentos de terra submarinos.

Uma das mais devastadoras séries de tsunamis na História foi produzida pela explosão do Cracatoa, ou Krakatau, um vulcão na Indonésia, em agosto de 1883. Algumas das ondas causadas pela explosão alcançaram a incrível altura de 41 metros acima do nível do mar e devastaram umas 300 cidadezinhas e aldeias costeiras. Provavelmente o número de mortos foi superior a 40.000.

ONDAS ASSASSINAS: MITOS E VERDADES

ERA 17 de julho de 1998, uma sexta-feira tranqüila. Poucos minutos após o pôr-do-sol, homens, mulheres e crianças de diversos vilarejos da costa norte de Papua-Nova Guiné foram subitamente sacudidos por um terremoto de magnitude 7,1. “O choque principal”, disse a revista Scientific American, “sacudiu um trecho de 30 quilômetros (quase 19 milhas) do litoral . . . e repentinamente deformou o leito oceânico ao largo da costa. Em resultado disso, a superfície do mar, normalmente plana, de repente foi jogada para cima, originando um assustador tsunami”.

Uma testemunha ocular disse ter ouvido um estrondo como um trovão distante, que foi sumindo gradativamente. Por sua vez, o mar recuou aos poucos até ficar abaixo do nível da maré baixa. Poucos minutos depois, ele viu a primeira onda, de cerca de três metros de altura. Tentou fugir, mas ela o alcançou. Uma segunda onda ainda maior o arrastou por cerca de um quilômetro, até um mangue próximo, e arrasou seu vilarejo. “Os detritos dependurados no alto das palmeiras indicam que as ondas atingiram 14 metros de altura”, diz Science News.

As ondas gigantes daquela noite ceifaram a vida de pelo menos 2.500 pessoas. Ironicamente, uma madeireira mais tarde doou madeira para a construção de novas escolas, mas quase não haviam sobrado crianças para ir à escola. Praticamente todas — mais de 230 — foram mortas pelo tsunami

MULHER - ROBÔ "GRÁVIDA

Equipes que ajudam mulheres grávidas têm sido tradicionalmente treinadas com pacientes de verdade. Mas agora, diz um relatório da Associated Press, um “robô que simula gravidez”, chamado Noelle, está “ganhando popularidade”. A mulher-robô “grávida”, com pulso e dilatação do útero que parecem reais, pode ser programada para simular diversas complicações e dar à luz em relativamente pouco tempo ou ter um parto demorado. O “bebê” a que Noelle dá à luz pode apresentar uma cor rosada que indica que está saudável ou azul que significa que está muito doente e lhe falta oxigênio. Por que usar um manequim para treinamento? “É melhor errar num robô de 20 mil dólares do que numa paciente de verdade”, explica o relatório.

JOVENS "CONSUMISTAS"

Segundo a Universidade La Sapienza, em Roma, Itália, crianças de apenas 3 anos sabem distinguir as marcas de produtos no mercado, e com 8 anos elas se tornam “consumidores”. Os comerciais na TV têm um importante papel na vida delas, transformando-as em pequenos “ditadores” que exigem que seus pais comprem determinados produtos, diz o jornal La Repubblica. “O perigo disso”, diz o jornal, é que as crianças “acabam vivendo e acreditando num mundo irreal, onde tudo que é oferecido (e comprado) é essencial”.

POUCOS INTERESSE NAS DOENÇAS TROPICAIS

A maioria das doenças tropicais é negligenciada pela pesquisa médica. Por quê? “Um fato lamentável é que . . . a indústria farmacêutica não se tem esforçado em pesquisar [novos tratamentos]”, diz Michael Ferguson, um biólogo molecular da Universidade de Dundee, Escócia. Não há incentivo financeiro para as empresas farmacêuticas fazerem isso, pois elas não vêem possibilidade de recuperar seu investimento. Essas empresas preferem produzir remédios que ofereçam uma elevada margem de lucro, que tratem de doenças como o mal de Alzheimer, obesidade e impotência. Nesse meio tempo, diz a revista New Scientist, cerca de “um milhão de pessoas no mundo todo morre a cada ano de malária, visto que ainda não há um tratamento eficaz disponível”.

VIOLÊNCIA "SÓ PARA PASSAR O TEMPO"

“Surras e humilhações praticadas por menores e gravadas em vídeo pelos seus celulares estão aumentando”, diz o jornal espanhol El País. Algumas vítimas nunca se recuperam depois das graves surras que recebem. Por que os jovens cometem tais crimes? “Não fazem isso para roubar ou por causa de racismo nem porque pertencem a uma gangue. Eles fazem isso — e esta é a novidade alarmante — só para passar o tempo”, explica a revista XL. “Algumas vezes estão bêbados, outras não”, diz Vicente Garrido, um psicólogo especializado em criminologia. “No entanto, uma coisa que eles têm em comum é não sentir remorso.”

quarta-feira, 17 de março de 2010

ANIMALZINHO "MORTO" REVIVEU

● Quando um carro atropelou o cãozinho Percy, da raça chihuahua, seu coração parou de bater. O pai do entristecido dono do animalzinho enterrou-o num saco no quintal da casa em Barnsley, Inglaterra. Mas o próprio cão terrier do pai, Micky, ficou choramingando ao lado da cova. Sete horas depois, conta o dono de Percy, Micky “correu para dentro de casa e latiu para meus pais até que estes o seguiram para fora. Encontraram Percy no saco — e seu coração começou a bater de novo.” Aparentemente, o terrier, pressentindo vida, havia desenterrado o saco e o arrastado em direção à casa. “O incrível é que normalmente estes dois cachorros vivem se atracando”, admirava-se o dono de Percy.

EFEITOS DANOSOS DO FUMO

● “O País gasta o dobro do que arrecada com a venda de cigarros, através da Previdência Social, em tratamento de doenças diversas ou aposentadoria a portadores de enfisema, causado pelo tabaco”, disse o médico José Feldman, professor emérito da Universidade Federal de Minas Gerais, conforme publicado no jornal O Estado de S. Paulo.

As principais doenças causadas pelo fumo, além do enfisema, são o entupimento das coronárias, problemas pulmonares, alguns tipos de câncer, gangrena e ataques cardíacos. No Brasil morre uma pessoa de cinco em cinco minutos vítima do fumo, o que representa cem mil mortes por ano, disse o professor.

O dr. Feldman há mais de 20 anos estuda os efeitos do tabaco e está promovendo uma campanha para esclarecer o público quanto aos efeitos danosos do fumo, chamando atenção, entre outras coisas, para o monóxido de carbono, uma substância muito tóxica encontrada em todos os cigarros, mesmo nos de ‘baixos teores’.

BICHOS DE ESTIMAÇÃO QUE COMPENSAM

● ‘Alugue uma galinha’, é uma campanha que faz sucesso nos Países-Baixos. A Fundação de Fazenda das Crianças, de Nuenen, em Brabant, diz o jornal Holland Herald, teve a idéia de lançar uma campanha para criar familiaridade entre crianças e animais. Mas por que logo galinhas? Por que não alugue uma ovelha, uma vaca ou um cão? As galinhas, dizem, são comparativamente mais fáceis de cuidar e, além disso, a família que cuida delas obtém um retorno, em forma de ovos, para os cerca de 10 mil cruzeiros que desembolsam por duas galinhas e um viveiro.

ABORTOS NA POLÔNIA

● O número de abortos é maior do que o de nascimentos, na Polônia, segundo um informe no American Medical News. Estatísticas oficiais indicam 702.000 nascimentos na Polônia comparados a calculadamente 800.000 a um milhão de abortos em 1982. Por que tantos abortos num país em que a Igreja Católica Romana, que proíbe estritamente o aborto, exerce influência social tão poderosa sobre muitos dos seus 36 milhões de habitantes? Alguns analistas atribuem isso à “escassez de alimentos” ou a “uma desesperada escassez de moradias”, diz o informe, “ao passo que outros afirmam que muitos casais consideram o aborto o único método contraceptivo razoável disponível”. E, diz o informe, “o governo polonês e o mecanismo do Partido Comunista provêem incentivos [serviços médicos gratuitos] para a prática de abortos”.

CONSERVAR OS DENTES

● Está cansado de mandar seus filhos escovar ou limpar os dentes? Bem, não mande mais. Em vez disso, escove-os e limpe-os você mesmo, sugere o dr. Ronald Johnson, presidente da odontologia pediátrica da Universidade do Sul da Califórnia. “Crianças com menos de 7 ou 8 anos são simplesmente incapazes de fazer um bom trabalho”, diz Johnson. “Algumas carecem da destreza manual. Outras de um senso de responsabilidade. Os pais podem limpar muito melhor os dentes das crianças.” O dr. Johnson crê que uma boa escovação e limpeza com fio dental diárias antes de dormir é tarefa importante demais para ser confiada a crianças.

CAUDA COMPRIDÍSSIMA

● Um dos mais bem-conhecidos cometas periódicos, o Tempel-2, surpreendeu os astrônomos britânicos da Universidade de Leicester, Inglaterra, por exibir pela primeira vez sua cauda de 32 milhões de quilômetros. Sua cauda anteriormente invisível, que se pensa ser formada de poeira ‘soprada’ do núcleo de 1,6 a 3,2 km por pressão solar, foi divisado pelo IRAS (o Satélite Astronômico Infravermelho Américo-britânico-holandês). Presumia-se que os cometas periódicos, que retornam com freqüência relativamente grande (O Tempel-2 retorna a aproximadamente cada 5,28 anos), não tivessem caudas visíveis. Mas, a foto-espectro de infravermelho da compridíssima cauda do Tempel-2, obtida pelo IRAS, pode significar que todos os cometas têm cauda.

SINAI ABRE ARQUIVOS

● A descoberta de manuscritos bíblicos em grego, no Mosteiro de Sta. Catarina, no Monte Sinai, causou sensação lá em 1975. Os professores de teologia Barbara e Kurt Aland, do Instituto Para Crítica Textual do Novo Testamento, em Münster, República Federal da Alemanha, finalmente chegaram a um acordo com o mosteiro, através do qual terão permissão de estudar e analisar esses textos. Mais de 60 desconhecidos manuscritos bíblicos em grego têm sido filmados. Este material será comparado no instituto de Münster com outros 1.200 anteriormente conhecidos manuscritos antigos encontrados no Mosteiro de Sta. Catarina. Segundo o jornal alemão Westfälische Nachrichten, este acordo entre o instituto e o mosteiro é em forma de contrato exclusivo, no qual eminentes autoridades gregas ortodoxas atuaram como mediadores.

FRANCESES REJEITAM O PECADO

● Noventa por cento da população francesa não mais acredita em pecado, e apenas 4 por cento aceita o conceito do pecado, segundo pesquisa publicada no semanário católico Le Pelerin. Ademais, num país em que 82 por cento da população é católica romana, a pesquisa revelou que 69 por cento disse que nunca se confessou e que 13 por cento se confessa apenas uma vez por ano, ou menos.

PESSOA SEM FILHOS E A VELHICE




● “Que lhe acontecerá na velhice se você não tiver filhos?”, muitas vezes se pergunta a pessoas sem filhos. A revista Family Relations publicou um estudo recente feito por Pat M. Keith, do Departamento de Sociologia da Universidade Estadual de Iowa, EUA, sobre “como os sem filhos se arranjam na velhice e se vivem pior do que os da mesma idade que são pais”. A pesquisa da professora Keith, baseada em entrevistas com pessoas sem filhos e com pais de 72 anos ou mais, descobriu que “filhos não garantem menos solidão e um conceito mais positivo sobre a vida para esses pais idosos”, e, portanto, “concluiu-se que a existência ou não de filhos aparentemente não alterava acentuadamente a vida dos bem idosos”.

ANEMIA NUTRICIONAL

● Muitas mulheres nos países em desenvolvimento, pelo menos 230 milhões, são anêmicas, calcula o relatório estatístico trimestral da Organização Mundial de Saúde. Elas sofrem deficiência de um ou mais nutrientes essenciais, especialmente ferro. Mulheres grávidas são as mais duramente atingidas pelo que a OMS chama de “uma das mais freqüentemente observadas doenças no mundo moderno” — a anemia por deficiência de ferro. “Cerca da metade das mulheres não grávidas e aproximadamente dois terços das grávidas” têm anemia nutricional, diz Erica Royston, estatística da OMS. Após analisar áreas na África, Ásia e América Latina, o relatório observou: “A maior parte da anemia nutricional pode ser evitada.”

MODERNIZAÇÃO NO ISLÃ ?

● Na sessão de abertura da reunião da Organização de Conferência Islâmica, de 43 nações, realizada em Meca, o Rei Fahad, da Arábia Saudita, pediu um novo organismo teológico mundial para reformar as leis islâmicas e encontrar respostas aos “desafios da vida moderna”. Ele propôs a volta do ijtihad — interpretação da sagrada lei muçulmana — como meio de reavaliar a aplicação de algumas leis islâmicas. Embora nem todos os líderes muçulmanos desejem tal mudança, Anuar Ibrahim, ministro malaio, disse: “A reativação do ijtihad eliminaria pensamentos e idéias ultrapassados . . . é necessário reconciliar as leis islâmicas com o mundo moderno.”

ECONOMIA SOVIÉTICA

● Um memorando de 30 páginas enviado ao Kremlin por economistas soviéticos recomenda “um profundo reestruturamento na condução da política econômica do estado” a fim de tirar a economia soviética de seu retraimento de mais de uma década. Os economistas, associados à Divisão Siberiana da Academia de Ciências em Novosibirsk, acusam uma densa e antiquada burocracia como uma das causas da tendência negativa da economia soviética. “No contexto desse sistema”, diz o documento, “as pessoas são consideradas ‘dentes de engrenagem’ do mecanismo econômico, e se comportam concordemente — obedientemente (passivamente), como máquinas e materiais”, destarte inibindo seus “impulsos criativos”. O resultado? O parecer acusa os trabalhadores soviéticos de “atitude indiferente para com o trabalho, serviço de má qualidade” e ‘ampla roubalheira’.

PROBLEMA DO CRIME NA CHINA

● Apesar de três anos de duro combate ao crime, a China ainda tem um “grande problema” com a violação da lei, diz o novo chefe de segurança pública da China, Liu Fuzhi, no jornal People’s Daily. “Não houve decréscimo acentuado em crimes maiores, tais como assassinato, roubo, estupro e apropriação indébita” desde 1981, observa o sr. Liu. A nova classe média da China é o principal alvo dos criminosos, pois The Age, de Melbourne, Austrália, diz: “O Ministério da Segurança Pública enviou circular a todos os seus altos representantes no país ordenando ‘ação imediata’ para proteger camponeses ricos.” O que agrava o problema do crime é “o persistente conceito de muitos camponeses de que ‘toda propriedade deve ser dividida eqüanimemente’”, reporta o correspondente de The Age em Pequim.

LIGAÇÃO ÁFRICA - EUROPA

● Por mais de cem anos discute-se a idéia de ligar a Europa e a África. Agora, um projeto para unir os dois continentes por túnel recebeu o sinal verde para prosseguir, como resultado de recente conferência realizada em Madri, Espanha. O túnel de 14 quilômetros passará sob o Estreito de Gibraltar e ligará a Espanha e o Marrocos. A construção do túnel levará uns cinco anos e custará em torno de dois bilhões de dólares. O alvo é concluí-lo por volta do fim desta década.

AUMENTA O RISCO DE GUERRA

● A moderna tecnologia está aumentando o risco de uma guerra nuclear, alerta o grupo de pesquisa do Instituto de Observação do Mundo, de Wa. shington, EUA. A tecnologia de comunicações e informação se desenvolveu tão rapidamente que está assumindo um “papel cada vez mais central” na corrida armamentista, diz o autor do informe, Daniel Deudney. Em vez de manterem as armas de guerra sob controle, as tecnologias de informação aumentam a tentação de desencadear um ataque nuclear, afirma o relatório. Pondera que os sofisticados sistemas de comunicações são altamente vulneráveis e isto “torna os primeiros ataques mais tentadores em situações de crise”.

ESCASSEZ DE SACERDOTES

● Estados Unidos: As matrículas em seminários católico-romanos caíram de 22.963 em 1972 para 11.500 em 1982, publicou o The New York Times. O crescente índice de mortes entre sacerdotes idosos e as desistências entre os clérigos mais jovens têm agravado o problema da escassez. Se as tendências atuais continuarem, a próxima década verá o número de sacerdotes americanos ser reduzido à metade, predizem os analistas. Além disso, desde 1966, o ano pós Concílio Vaticano Segundo, o número de freiras caiu de 181.421 para 121.370 e o número de confrades católicos nas ordens religiosas chegou a 7.880, um decréscimo de mais de 60 por cento. Essas quedas drásticas “preocupam severamente” o papa, que foi movido a dizer: “A idade média dos religiosos está aumentando e sua capacidade para servir às necessidades da igreja torna-se cada vez mais limitada.”

● Áustria: “Não mais do que dentro de 15 ou 20 anos uma em cada duas paróquias na predominantemente católica Áustria ficará sem o seu próprio sacerdote”, diz o jornal Schwäbische Zeitung, da Alemanha. Já agora um quinto de todas as paróquias não tem “o seu próprio sacerdote”, segundo o estudo feito. O estudo também chamou atenção à idade avançada da maioria dos clérigos da Áustria.

● Canadá: Devido à séria escassez de sacerdotes Católicos-romanos em Toronto, a arquidiocese espalhou 35 cartazes pela cidade retratando um Cristo crucificado, como parte duma campanha publicitária para recrutar clérigos. Temem que nos próximos cinco anos o atual índice de um sacerdote para cada 3.000 paroquianos caia para um para cada 5.000. Um editorial no The Toronto Sun, sumarizou o assunto: “Se existe escassez de sacerdotes é porque Deus, não a arquidiocese local, decidiu parar de convocá-los.”

domingo, 14 de março de 2010

POLÍTICOS QUE FUMAM




O governo do México adotou, recentemente, uma medida para proteger os não-fumantes. Segundo Visión, uma revista latino-americana, é agora proibido fumar em bibliotecas, em centros de saúde, em cinemas, em veículos usados para transporte público e nos departamentos do governo que oferecem serviços públicos. Exige-se que os restaurantes e as lanchonetes tenham áreas reservadas aos não-fumantes. Os que violarem tal lei talvez tenham de pagar uma multa de até US$ 30. Visión observa, contudo, que “na Câmara dos Deputados e no Senado (os corpos legislativos que aprovaram tal lei), essa medida não se aplica, porque os políticos mexicanos não conseguem evitar de fumar em seu horário de trabalho”.

"ABSURDA BRUTALIDADE

Em editorial, o jornal O Estado de S.Paulo comenta o número estonteante de acidentes de trânsito no Brasil: “Trata-se de absurda brutalidade, de morticínio gratuito, que atesta, de um lado, irresponsabilidade e, de outro, chocante desprezo pela vida humana.” Mas, o que deve ser feito com motoristas irresponsáveis? Recentes sentenças tentam ensinar o respeito pela vida. Um juiz condenou um estudante de 23 anos, que provocou a morte de dois de seus amigos num “racha” a “acompanhar durante dois anos a autópsia nos corpos das vítimas de acidentes de trânsito”. E, depois de causar a morte de uma jovem de 15 anos e ferir outras cinco pessoas, outro motorista foi condenado a “trabalhar por três anos num pronto-socorro, auxiliando especialmente no atendimento às vítimas de acidentes”.

sábado, 13 de março de 2010

"ALIMENTO REFUGO" INFANTIL

◆ Dois pesquisadores da Universidade da Carolina do Sul, E.U.A., afirmam que as fórmulas de alimento infantil são um “refugo” e deveriam ser vendidas unicamente sob prescrição médica. Os Drs. Paul Fleiss e Jay Gordon dizem que as fórmulas de alimento se deveriam restringir às mães com problemas médicos ou às separadas de seus bebês. Dizem que as fórmulas constituem a iniciação da criança aos “alimentos sem valor”, e que a lista dos ingredientes no rótulo “não é muito diferente do rótulo de uma bala”.

UM PRÉDIO EM 38 HORAS

◆ O jornal World, de Tulsa, Oklahoma, E.U.A., publicou que um Salão do Reino das Testemunhas de Jeová foi construído em menos de 38 horas, num fim de semana. O jornal veiculou: “O sol mal apareceu no horizonte quando dúzias de pessoas — logo centenas — convergiram sobre um terreno poeirento e estreito, com piso recentemente concretado. Chegaram em camionetas, furgões, casas-móveis e automóveis, de Oklahoma, Arkansas, Texas, Kansas, Missouri, Colorado, Luisiana, Flórida e Nova Iorque. Sendo todas Testemunhas de Jeová, tinham uma meta comum: Construir[ um Salão do Reino] para a congregação local [de Purcell], de 36 membros, em apenas um fim de semana. E conseguiram. O último tijolo foi assentado exatamente 37 horas e 20 minutos depois que os homens, mulheres e crianças arregaçaram as mangas.”

O World observou que “nenhum centavo foi pago pelo seu trabalho feito por amor”. Um transeunte declarou: “É a coisa mais inacreditável que já vi em toda a minha vida. Ontem, não existia nada. Hoje é isto aí. É a mais bela dedicação a Deus que já vi.”