produtos forever - a base de aloe vera mais saúde em sua mesa. visite no endereço:

http://www.toni-forever.blogspot.com

sábado, 29 de maio de 2010

Quem vive mais

O que é preciso para se permanecer saudável e viver mais tempo? “A tendência de personalidade de preservar uma disposição de ânimo estável, sem ansiedade psicológica, promove a saúde física muito mais do que os exercícios ou os hábitos alimentares”, diz o Dr. George Vaillant, do Hospital Brigham e da Mulher, em Boston. A afirmação de Vaillant se baseia num estudo corrente de mais de 230 homens, que originalmente fizeram parte da pesquisa em 1942. Aos 52 anos, os homens que tinham boa saúde foram divididos em três grupos: os considerados “ansiosos” (haviam abusado do álcool, usado calmantes com regularidade ou consultado um psiquiatra), “não-ansiosos” (jamais haviam abusado do álcool, ingerido drogas que alteram o humor, nem consultado psiquiatra) e “os intermediários” (estavam entre os dois grupos). Aos 75 anos, ‘apenas 5% do segundo grupo havia morrido, em comparação com 25% dos do grupo intermediário, e 38% do primeiro grupo’, diz Science News. Não há dúvida de que manter uma alimentação saudável e fazer exercícios regularmente contribui para a boa saúde. Mas a “longevidade, pelo menos em homens, parece depender de uma tendência para a estabilidade emocional que não dá margem a crises extremas de depressão”, diz Science News.

Descoberta Bíblia de Gutenberg

Uma parte da Bíblia impressa no século 15 por Johannes Gutenberg foi descoberta num arquivo de igreja em Rendsburg, Alemanha. Depois de sua descoberta no início de 1996, a parte de 150 páginas da Bíblia foi cuidadosamente examinada antes de ser considerada uma Gutenberg genuína, diz o jornal Wiesbadener Kurier. Sabe-se que existem 48 Bíblias Gutenberg no mundo, 20 delas completas. “As famosas Bíblias de dois volumes impressas por Johannes Gutenberg são consideradas as primeiras obras importantes na impressão de livros”, diz o jornal. Este último achado “ainda traz intacta a corrente com a qual a Bíblia era amarrada ao púlpito para evitar que fosse roubada”.

Amizade muito estranha

Os cientistas há muito admiram a relação entre formigas e as acácias africanas. As árvores fornecem comida e abrigo para as formigas. As formigas, por sua vez, atacam os insetos que prejudicam a acácia e picam os animais que vêm comer as folhas. As acácias parecem depender dessa proteção para sobreviver. Mas elas também precisam de insetos voadores para polinizar suas flores. Com as formigas de guarda, como é que os insetos polinizadores conseguem fazer o seu serviço? Segundo a revista científica Nature, quando as acácias atingem “o ápice de sua fertilidade floral”, elas exalam uma substância química que parece deter as formigas. Isso permite que os insetos visitem as flores “nesse estágio crucial”. Daí, depois de os insetos terem polinizado as flores, as formigas voltam à ação.

Ambiente no lar é mais importante

Será que deixar os filhos na creche ou sob a supervisão de uma babá é bom para as crianças? Era o que um estudo do Instituto Nacional de Saúde Infantil e Desenvolvimento Humano, nos EUA, queria descobrir. Destacados pesquisadores de cuidados infantis de 14 universidades acompanharam 1.364 crianças do nascimento aos três anos. Mais de 20% das crianças foram cuidadas pelas mães em casa; as demais foram mandadas para creches ou para as casas de babás contratadas. Quais foram os resultados? “Os pesquisadores descobriram que as crianças em creches ou com babás de bom nível — onde adultos conversam bastante com as crianças de maneira interativa — apresentam uma ligeira vantagem nas habilidades de linguagem e aprendizagem em comparação com crianças em ambientes em que recebem menos atenção”, diz a revista Time. ‘Mas a principal conclusão foi de que a influência da supervisão de terceiros sobre o desenvolvimento mental e emocional da criança nem se compara à influência da qualidade da vida familiar. Os pesquisadores calcularam que apenas 1% das diferenças entre as crianças poderiam ser atribuídas a fatores relacionados com supervisão, porém 32% poderiam ser explicadas pela diferença de qualidade no ambiente em casa. Qual é a mensagem? O que faz diferença é o que se aprende em casa.’

Teologia feminista Além da teologia da libertação, há também o movimento da teologia feminista. Em contraste com o catolicismo conservador e institucional, a teologia feminista promove conceitos sobre sexualidade, reprodução, ecologia, ecumenismo, e, naturalmente, feminismo. Contudo, o periódico ENI Bulletin diz que a professora católica romana Rosemary Radford Ruether, uma das fundadoras da teologia feminista, levantou “a questão da compatibilidade da teologia feminista com a teologia da libertação”. De acordo com o periódico, alguns teólogos da libertação acham que “o feminismo é alheio ao pensamento latino-americano e desvia as pessoas da preocupação fundamental com os pobres”.

Além da teologia da libertação, há também o movimento da teologia feminista. Em contraste com o catolicismo conservador e institucional, a teologia feminista promove conceitos sobre sexualidade, reprodução, ecologia, ecumenismo, e, naturalmente, feminismo. Contudo, o periódico ENI Bulletin diz que a professora católica romana Rosemary Radford Ruether, uma das fundadoras da teologia feminista, levantou “a questão da compatibilidade da teologia feminista com a teologia da libertação”. De acordo com o periódico, alguns teólogos da libertação acham que “o feminismo é alheio ao pensamento latino-americano e desvia as pessoas da preocupação fundamental com os pobres”.


Além da teologia da libertação, há também o movimento da teologia feminista. Em contraste com o catolicismo conservador e institucional, a teologia feminista promove conceitos sobre sexualidade, reprodução, ecologia, ecumenismo, e, naturalmente, feminismo. Contudo, o periódico ENI Bulletin diz que a professora católica romana Rosemary Radford Ruether, uma das fundadoras da teologia feminista, levantou “a questão da compatibilidade da teologia feminista com a teologia da libertação”. De acordo com o periódico, alguns teólogos da libertação acham que “o feminismo é alheio ao pensamento latino-americano e desvia as pessoas da preocupação fundamental com os pobres”.

Dilema da alimentação infantil

“Por duas décadas, médicos e órgãos de saúde pública têm sido unânimes no conselho dado às mães em países mais pobres: amamentar ao peito para proteger a saúde dos bebês”, diz o jornal The New York Times. “Mas agora, com a pandemia da Aids, as coisas mudaram. Os estudos mostram que é comum as mães infectadas transmitirem o vírus da doença pelo leite. Segundo estimativa recente das Nações Unidas, um terço dos bebês com HIV foram infectados pelo leite materno.” A alternativa seria a mamadeira, mas isso também apresenta problemas. Em muitas nações as mães não têm recursos para comprar leite ou para esterilizar as mamadeiras, nem têm acesso a àgua limpa. Em resultado disso, os bebês sofrem de diarréia e de desidratação, bem como de doenças respiratórias e gastrointestinais. As famílias pobres diluem muito o leite usado na mamadeira, o que resulta na desnutrição dos bebês. As autoridades sanitárias tentam encontrar um meio-termo. No mundo todo, ocorrem mais de 1.000 novos casos de infecção por HIV entre bebês e crianças por dia.

Turistas sem boas maneiras

O rico patrimônio cultural da Itália atrai muitos turistas. Infelizmente, estes costumam ficar muito à vontade, esquecendo-se das boas maneiras. Segundo Mario Lolli Ghetti, diretor do patrimônio ambiental e arquitetônico de Florença, “muitos se acham no direito de fazer coisas que jamais sonhariam em fazer em casa”. Assim, a cidade de Florença produziu uma “Carta de Direitos e Deveres do Turista”, que lembra os visitantes do que podem e do que não podem fazer, diz o jornal La Repubblica. Eis alguns lembretes: Não tome banho nem mergulhe os pés nas fontes; não faça piquenique na frente de monumentos e museus; não jogue latas ou chiclete no chão; não use camisetas-regata ao visitar museus; e não tome sol com roupa de praia nos jardins e praças históricas. Naturalmente, os turistas com boas maneiras ainda são apreciados e bem-vindos.

“Efeito Moisés”

Dois físicos do Japão conseguiram dividir água em laboratório, diz a revista New Scientist. Masakazu Iwasaka e Shogo Ueno, da Universidade de Tóquio, usaram potentes solenóides elétricos para criar um forte campo magnético em torno de um tubo horizontal parcialmente cheio de água. O campo magnético, umas 500.000 vezes mais potente do que o da Terra, forçou a água para as extremidades do cilindro, deixando uma parte seca no meio. O fenômeno, descoberto pelos cientistas em 1994, foi reproduzido por físicos na Europa e nos Estados Unidos. Como funciona? De acordo com Koichi Kitazawa, um colega da Universidade de Tóquio, a água ‘tende a se afastar do campo magnético. Isso explica por que um ímã potente repele a água, empurrando-a de lugares em que o campo magnético é elevado para outros onde é baixo’. Kitazawa batizou o fenômeno de “Efeito Moisés”.

Um negócio altamente lucrativo

Há cerca de 340 milhões de viciados em drogas no mundo, diz a Organização das Nações Unidas. Segundo o Jornal da Tarde, ‘a dependência de calmantes e sedativos lidera todas as modalidades, com 227,5 milhões de consumidores ou quase 4% da população mundial. Em seguida vem a maconha, com 141 milhões, totalizando 2,5% da população global’. Calcula-se que apenas de 5% a 10% das drogas sejam apreendidas pela polícia em todo o mundo. O relatório mostra também que para suprir os 340 milhões de viciados do mundo, a venda de drogas fatura 400 bilhões de dólares por ano. Dependendo da droga, os traficantes lucram 300%, ‘uma margem de lucro jamais encontrada em qualquer outra modalidade econômica’.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Mastigar Economiza Dinheiro

● Segundo pesquisadores, os alimentos macios, refinados, consumidos na maioria das nações industrializadas, podem ser responsáveis pelo enriquecimento dos ortodontistas. Eles alimentaram 43 macacos-de-cheiro ou com alimentos artificialmente macios ou com alimentos naturalmente mastigáveis. Segundo relatado no periódico Science, 19 dentre 22 macacos criados na dieta de alimentos duros tinham maxilares e dentes sadios, ao passo que 14 dos 18 macacos que receberam alimentos macios tinham anormalidades semelhantes aos defeitos comuns que muitos americanos têm: dentes salientes, encravados e incisivos tortos. Os pesquisadores disseram que o ato de mastigar mais poderia poupar milhões em dinheiro nas contas ortodônticas.

Falar com o Médico Pelo Telefone

● A maioria das pessoas que telefonam para seu médico a fim de pedir conselho ou para se tranqüilizar sobre um problema de saúde “não sabe usar o telefone com eficácia” declara o dr. P. Bruno. Como pode alguém preparar-se para falar com um médico pelo telefone? As seguintes seis sugestões da Associação Tisiológica de Brooklyn, EUA, apareceram na revista Self: 1. Tire sua temperatura antes de telefonar. 2. Faça uma lista dos seus sintomas e de quando começaram. 3. Dê informações sobre os sintomas sem fazer autodiagnóstico. 4. Seja específico nas informações. 5. Anote o que o médico diz. 6. Fale com o médico pessoalmente, se de algum modo isso for possível.

As Igrejas e a Bomba

● A brecha entre a Igreja Anglicana e a Igreja de Roma está sendo sanada pela questão da bomba nuclear. Em ambas as igrejas seu clero fala francamente contra as armas nucleares. O bispo de Salisbury, na Inglaterra, John Austin Baker, representando um “partido trabalhista” da Igreja Anglicana, declarou: “As armas nucleares são uma negação direta do conceito cristão sobre a paz.” (Sua contraparte nos Estados Unidos da América, a Igreja Episcopal, fez um apelo em favor do congelamento nuclear imediato durante a convenção de seu corpo administrativo.)

A Conferência Nacional dos Bispos Católicos dos EUA declarou na sua proposta carta pastoral aos 51 milhões de católicos romanos daquela nação: “Julgamos que é imoral até mesmo ameaçar recorrer a armas nucleares.” Tanto a primeira-ministra da Inglaterra como o presidente dos Estados Unidos discordam das conclusões das igrejas.

Matança de Tartarugas

● Em alguns lugares atingidos pela seca, no interior do estado nordestino do Ceará, pessoas famintas lançaram mão de cobras, lagartos e ratos como alimento para se manter vivas. Soube-se agora que, ao longo do seu litoral de uns 550 quilômetros, as tartarugas estão sendo cruelmente mortas pela população “para não morrer de fome”.

O Estado de S. Paulo, citando o poeta e escritor Roberto Pontes, dizia que alguns pescadores locais são peritos na captura, sacrifício e retalhamento desses répteis, muitos dos quais têm mais de um metro de diâmetro, pesando mais de 300 quilos. A maneira de matar é descrita como “horripilante, cruel e desumana”.

O coordenador da Sudepe em Fortaleza, o sr. José Flávio Barreto, admitiu que há matança indiscriminada e irregular de tartarugas e explicou que há somente cinco fiscais para toda a costa. A matança de tais criaturas, se não for impedida, poderá causar a extinção da espécie.

Aumenta o Grupo de Potências Nucleares

● Atualmente, seis países, Estados Unidos, URSS, França, Grã-Bretanha, China e Índia, têm produzido armas nucleares. Mas, até o ano 2000, esse número poderá chegar a 31, afirmam os analistas militares dos EUA num relatório especial feito a The New York Times. O Paquistão e a África do Sul estão listados. No Oriente Médio, estão listados Israel, Egito, Arábia Saudita, Irã e Iraque. Na Ásia, Coréia do Sul, Formosa, Japão e Filipinas são potências nucleares em potencial. Na América Latina, o serviço de informações militares alista o México, o Brasil e a Argentina. A Alemanha Ocidental, a Suécia, a Itália e a Espanha estão incluídas no grupo da Europa. O Canadá e a Austrália têm também potencial de armas nucleares. O que pressagia isso para o futuro, visto que muitos desses países há muito se empenham em disputas regionais?

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Educação e mortalidade infantil

“Gastando US$ 7 bilhões a mais por ano durante os próximos dez anos — quantia menor do que se gasta anualmente em cosméticos, nos Estados Unidos, e em sorvetes, na Europa —, o sonho de educar todas as crianças [do mundo] poderia tornar-se realidade [por volta do ano 2010]”, diz o relatório Situação Mundial da Infância 1999 — Educação, do Fundo das Nações Unidas para a Infância. Segundo o jornal The Times of India, apenas 66% dos homens e 38% das mulheres da Índia são alfabetizados. Onde há mais meninas matriculadas na escola primária, a mortalidade infantil diminui. Pode-se observar o efeito dessa educação básica no Estado de Kerala, no sul da Índia, onde a taxa de alfabetização é de quase 90% e “o índice de mortalidade infantil é o menor de todos os países em desenvolvimento”.

Exercícios de equilíbrio para evitar quedas

“Um terço das pessoas com mais de 65 anos cai pelo menos uma vez por ano e muitas delas sofrem ferimentos, como fraturas de quadril, que talvez nunca sarem direito”, diz The New York Times. À medida que envelhecemos, diminui a habilidade do corpo de detectar sua própria posição, o que torna mais difícil manter o equilíbrio. Um estudo recente da Faculdade de Medicina da Universidade de Connecticut, EUA, indica que exercícios de equilíbrio regulares, como ficar numa perna só ou caminhar em cima de uma viga baixa de madeira, podem melhorar o equilíbrio de pessoas mais velhas. Mas Gina Allchin, que trabalha na academia de ginástica da empresa Sullivan & Cromwell, aconselha a começar devagar, com sessões de exercícios de equilíbrio de dez minutos de duração, duas ou três vezes por semana. Ela diz: “Esse tipo de exercício talvez pareça muito fácil, mas pode deixá-lo exausto e dolorido se exagerar.”

Água de colônia no metrô?

As autoridades de transportes da França criaram um novo perfume para melhorar o aroma nada agradável das estações de metrô de Paris. A fragrância, chamada de Madeleine, nome de uma das estações, é colocada nos produtos de limpeza usados no metrô, diz a agência de notícias Reuters. O diretor do metrô, Jacques Rapoport, explicou que foram necessários cinco anos de pesquisa e desenvolvimento. “Tínhamos de encontrar um aroma doce, não muito intenso, que durasse duas semanas e que transmitisse uma sensação de limpeza e bem-estar”, disse ele. A intenção das autoridades do metrô é que Madeleine evoque a fragrância do “campo, dos bosques, de flores e de frutas”.

Mordidas de cão e as crianças

Crianças pequenas são as vítimas mais freqüentes de mordidas de cachorro nos Estados Unidos, diz o UC Berkeley Wellness Letter. Mas a notícia comenta que se pode evitar a maioria dessas mordidas. Para reduzir o risco, o Wellness Letter recomenda que a primeira coisa que os pais devem fazer é escolher um cãozinho dócil. Daí, devem mandar castrá-lo e treiná-lo bondosamente, mas com firmeza, para obedecer e ser amigável com as pessoas, em especial com crianças. O Wellness Letter diz: “Nunca presuma que, mesmo o cão mais manso, vá aceitar um novo bebê ou vá respeitar uma criança pequena. Fique sempre de olho.” Deve-se ensinar as crianças a nunca se aproximar sozinhas de um cão. Deixe o dono do cão apresentá-lo. Fale com o cachorro e deixe que ele cheire sua mão fechada. Se ele começar a rosnar ou se arrepiar, fique quieto e não se vire nem corra. O Wellness Letter afirma: “Assim como os lobos, os cães instintivamente perseguem e atacam um alvo em fuga.”

Como o chá verde age sobre o câncer

Estudos indicam que quem bebe chá verde tende a desenvolver menos câncer e que até animais que tomam o chá obtêm benefícios similares. Recentemente, pesquisadores da Universidade Purdue, em Indiana, EUA, descobriram uma possível razão para isso, diz a revista Science News. O EGCg, substância encontrada no chá verde, inibe uma enzima necessária para que as células cancerosas se dividam. Parece que o EGCg não tem o mesmo efeito na divisão das células normais. No mundo todo, cerca de 80% das pessoas que tomam chá preferem o chá preto, que contém uma concentração menor de EGCg. Esse fato, dizem os pesquisadores, talvez explique por que ele só tem de um décimo a um centésimo da eficácia do chá verde em inibir a reação enzimática em células cultivadas em tubos de ensaio.

Funerais que aumentam a pobreza

“O custo de vida está aumentando”, noticia o jornal Times of Zambia, “mas . . . o custo de morrer aumenta ainda mais”. Em muitas partes da África, incluindo em Zâmbia, com freqüência se adia o funeral para que amigos e parentes que moram longe tenham tempo de vir e participar nos rituais de luto, que duram uma semana ou mais. Em geral, todos os presentes esperam ser alimentados e hospedados. Também quem precisa de dinheiro para voltar para casa espera que a família enlutada o forneça. Esses funerais tornam a família do falecido ainda mais pobre. “Os funerais modernos”, diz a notícia, estão “ficando mais caros porque há muitos que vêm chorar pelo falecido, mas não ajudam em nada”. O jornal sugere que se realize o funeral logo depois da morte da pessoa a fim de aliviar a carga dos enlutados.

Nova ‘guerra fria’

“Os comerciantes estão tentando manter os seus freezers cheios de sorvete enquanto os eslovenos compram avidamente todos os tipos e sabores disponíveis”, diz o jornal Delo, de Liubliana. Segundo o jornal, os eslovenos compram cada vez mais sorvete — os fabricantes locais registraram um aumento de 22% nas vendas anuais. Se essa taxa de crescimento se mantiver, o consumo nacional de sorvete, de 4,3 litros anuais por pessoa, com o tempo ultrapassará a média da Europa Ocidental (5,5 litros). Mas na corrida européia do sorvete, os suecos ainda estão bem na frente. Segundo o grupo de pesquisa de mercado Euromonitor, os suecos consomem anualmente uma média de quase 16 litros de sorvete por pessoa. No mundo, os americanos estão na liderança: todo ano, consomem mais de 20 litros de sorvete per capita.

A cortiça, a economia e a vida selvagem

Da casca dos sobreiros do sul da Espanha e de Portugal retira-se 80% da cortiça do mundo. Nessas regiões, a cada nove anos os camponeses tiram a casca dessas árvores majestosas. O sobreiro é a única árvore que recupera a sua casca dessa maneira. Recentemente, essa ocupação secular começou a ser ameaçada pelo aumento no uso de rolhas de plástico, noticia o jornal Guardian Weekly, de Manchester, Inglaterra. Se a indústria de cortiça natural entrar em decadência, talvez as árvores comecem a ser cortadas para dar lugar a plantações mais lucrativas. Os ambientalistas temem que com isso muitas aves percam as florestas de que dependem para sobreviver. “Quarenta e duas espécies dependem do sobreiro”, diz o jornal, “incluindo a ameaçada águia-imperial espanhola, que faz seu ninho nesta árvore e cuja população total é de 130 pares”.

Ano de altas temperaturas

O ano passado (1998) foi o mais quente desde 1860, diz Science News. Segundo estimativas, a temperatura média da superfície da Terra ficou 0,58 °C acima da temperatura média registrada entre 1961 e 1990. “Para os climatologistas, que se preocupam com mudanças globais da ordem de centésimos de grau, o calor do ano passado se destaca como um pico do Himalaia”, diz a revista. Segundo o periódico, depois de 1990 houve sete dos anos mais quentes de que se tem registro. Também, desde 1983 registraram-se os dez mais quentes. Segundo Jonathan Overpeck, da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica, dos EUA, as últimas duas décadas talvez tenham sido as mais quentes nos últimos 1.200 anos. A Organização Meteorológica Mundial diz que apenas as regiões do norte da Europa e da Ásia escaparam do aquecimento. O sul dos Estados Unidos teve um verão extremamente quente e na Rússia central uma onda de calor em junho matou mais de 100 pessoas e causou grandes incêndios.

Buraco recorde na camada de ozônio

Em setembro de 1998, o buraco que todo ano se forma na camada de ozônio sobre a Antártida atingiu um tamanho recorde, noticia a revista O Correio da Unesco. Fotos de satélite mostraram que o buraco atingiu um tamanho cerca de duas vezes e meia maior que a área da Europa. A camada de ozônio na estratosfera protege as criaturas vivas e os ecossistemas do planeta contra a radiação ultravioleta do Sol. Quanto mais radiação, maior é o risco de as pessoas sofrerem queimaduras de sol, câncer de pele e catarata, menciona a notícia. Dizem que os clorofluorcarbonos (CFCs), usados em sistemas de refrigeração e em aerossóis, são a principal causa da destruição da camada de ozônio. Em 1987, numa conferência em Montreal, Canadá, 165 países concordaram em deixar de usá-los. Apesar disso, a revista afirma que “levará pelo menos 60 anos para que os CFCs desapareçam completamente da estratosfera”.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

A natureza enganosa do débito de sono

“As pessoas que conseguem passar com um débito de sono moderado muitas vezes não percebem que sua capacidade de raciocinar diminui, e não se sentem particularmente sonolentas”, relata a revista Science News. Uma pesquisa de duas semanas, envolvendo 48 voluntários de 21 a 38 anos mostrou que, em poucos dias, a constante falta de sono diminuiu suas habilidades mentais, incluindo a percepção e o tempo de reação. A média de todos era anteriormente entre sete e oito horas de sono por noite, mas agora, para a pesquisa, eles foram divididos em quatro grupos. Os membros de três grupos tiveram permissão para dormir oito, seis ou quatro horas por noite. O outro grupo não pôde dormir nada por um período de três dias. Os testes mostraram que, para os grupos que dormiram seis e quatro horas, houve perdas crescentes em habilidades, mas não houve perdas para os que dormiram oito horas.

Mulheres procuram a pornografia

“A internet tornou a pornografia inegavelmente atrativa para milhões de mulheres nos últimos anos, visto que o acesso é fácil, de baixo custo e mantido no anonimato”, diz o jornal The Plain Dealer, de Cleveland, Ohio, EUA. “Cerca de uma em cada três pessoas que acessam sites para adultos é mulher.” Uma mãe de 42 anos começou a ver pornografia “com a intenção de entender o que atraía tanto seu ex-marido. Não demorou muito e ela estava gastando até 30 horas por semana navegando na rede em busca de excitação sexual”.

Alimentos no tratamento da pele

Os alimentos estão se tornando ingredientes cada vez mais populares em cosméticos e tratamentos para o bem-estar. Além do chocolate, são usados gêneros alimentícios básicos, como o azeite de oliva. Alguns acreditam que “um relaxante banho de espuma de cacau, à luz de vela, seguido de uma massagem com emulsão de chocolate quente e depois uma compressa de fondue de chocolate no corpo” ajuda a prevenir o envelhecimento da pele, relata o jornal Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung. Será que ajuda mesmo? “Embora seja teoricamente plausível que o extrato de cacau em creme consiga retardar o envelhecimento, isso ainda não tem base científica”, diz o professor Volker Steinkraus, do Instituto de Dermatologia de Hamburgo.

Meninos de rua em desespero

A pobreza levou mais de um milhão de crianças polonesas a viver nas ruas, segundo a revista Wprost. Elas têm geralmente de 8 a 15 anos e “já são arrimos de família”, pois pagam o aluguel e sustentam seus irmãos famintos — até dão dinheiro aos pais alcoólatras. Embora de início talvez trabalhem pelo sustento, a maioria acaba recorrendo “ao roubo, ao tráfico de drogas e de álcool, à extorsão de colegas e à prostituição”. Segundo Marek Liciński, da Fundação Social Powiślańska, “a violência e o crime não são os maiores problemas que essas crianças têm de enfrentar, mas sim a falta de um lar ou de alguém em quem confiar”.

Dieta grega saudável

“Cientistas das Escolas de Medicina de Harvard e de Atenas pesquisaram os hábitos alimentares de 22.043 gregos durante quase quatro anos. Descobriu-se que a dieta mediterrânea diminuiu 25% ou mais o risco de morte por câncer e doenças cardíacas”, relata a Readers Digest. “Os gregos comem bastante nozes, frutas, verduras, legumes, cereais e azeite de oliva, muito peixe, quantidades moderadas de laticínios e álcool, e pouca carne vermelha.” Há tempos observam-se os benefícios da dieta mediterrânea tradicional para a saúde.

Jovens e o computador




Segundo um relatório do Ministério da Educação dos EUA, “cerca de 90% dos americanos de 5 a 17 anos usam computadores e 59%, a internet — índices mais altos do que os dos adultos”, explica o The Wall Street Journal. O uso do computador começa bem cedo. Esse relatório mostra que “cerca de 75% das crianças já fazem uso de computadores aos 5 anos e a maioria usa a internet aos 9”. Ao passo que mais da metade dos jovens acessam a internet para comunicar-se com amigos ou para jogar games, “de cada 4, quase 3 a usam nas tarefas escolares”, comenta o Journal. “As meninas, que até pouco tempo usavam o computador e a internet menos que os meninos, hoje usam-nos quase tanto quanto eles.”

Pontualidade em alta

O Equador lançou a campanha nacional de pontualidade. Segundo a revista The Economist, calcula-se que, além das inconveniências, a falta de pontualidade custa ao Equador 742 milhões de dólares por ano — 4,3% do produto interno bruto. “Mais da metade dos eventos públicos começam atrasados”, menciona a reportagem. Parece que a campanha de pontualidade está tendo certo êxito. “Nas reuniões, os retardatários são barrados na entrada”, diz The Economist, e “um jornal local está publicando uma lista diária dos funcionários públicos que chegam atrasados aos eventos”.

Perdidos, mas geralmente achados

domingo, 16 de maio de 2010

Fragmentação das matas

“A caça, o desmatamento e os incêndios não são as únicas ameaças à sobrevivência de plantas e animais”, diz o Jornal do Commercio, de Recife, Brasil. “O processo de fragmentação das florestas também põe espécies em risco de extinção.” Segundo o agrônomo Marcelo Tabarelli, professor da Universidade Federal de Pernambuco, “a fragmentação interrompe padrões de dispersão e de migração e termina provocando a redução de populações [de plantas e animais]”. Assim, “a falta de determinados animais acaba interferindo na reprodução das plantas. Sem dispersores, há uma tendência à agregação”. O jornal também cita a seguinte declaração do agrônomo: “Se [as plantas] ficam concentradas, as chances de uma doença ter conseqüências desastrosas também são grandes.”

Perdão póstumo para “bruxas”?

Em 1994, o papa convocou a Igreja Católica Romana a ‘examinar sua consciência histórica’. Um resultado foi a formação de uma comissão católica na República Tcheca, a primeira desse tipo, para analisar se se deve perdoar centenas de pessoas queimadas vivas como bruxas. Em resultado da caça às bruxas aprovada pela Igreja, entre os séculos 12 e 18 milhares de pessoas na Europa morreram na fogueira ou por torturas. Depois que o Papa Inocêncio VIII publicou um edito sobre bruxaria, em 1484, a caça às bruxas se intensificou. Usavam-se mais de 30 métodos de tortura para identificar os supostos bruxos. Nem crianças pequenas foram poupadas nos esforços de arrancar evidências contra seus pais. A Alemanha queimou o maior número de bruxas, mas esses julgamentos eram comuns também na França e na Grã-Bretanha. A Igreja talvez pense em desculpas póstumas, diz o jornal The Sunday Telegraph, de Londres.

Loucura do milênio

“O governo [israelense] destinou 12 milhões de dólares para melhorar a segurança no monte do Templo” a fim de se preparar para atos violentos relacionados ao novo milênio, noticia o Nando Times. A polícia está preocupada que fanáticos judeus ou “cristãos” tentem destruir mesquitas que ficam no monte do Templo para reconstruir o templo judeu. Alguns cultos “cristãos” acreditam que isso apressará o fim do mundo e a segunda vinda de Cristo. Segundo a reportagem, o monte do Templo, conhecido pelos muçulmanos como al-Haram al-Sharif, é “considerado o ponto mais delicado no conflito do Oriente Médio”. Localiza-se “na Cidade Antiga, murada, de Jerusalém, que Israel tomou da Jordânia na guerra de 1967”. Dizem que vários “cristãos” já alugaram espaço no monte das Oliveiras para esperar a volta de Cristo.

Aumento do analfabetismo

“Quase um sexto dos 5,9 bilhões de pessoas no mundo não sabe ler nem escrever”, noticia The New York Times. Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), a previsão é que o analfabetismo aumente. Por quê? Porque atualmente 3 em cada 4 crianças nas nações mais pobres não vão à escola. Além de causar problemas econômicos mundiais, os conflitos étnicos impedem milhões de crianças de receber instrução. As guerras, além de destruir escolas, transformam muitas crianças em soldados em vez de em estudantes. Naturalmente, o analfabetismo também contribui para problemas sociais. O relatório do Unicef intitulado Situação Mundial da Infância 1999 diz que há uma relação direta entre o analfabetismo e os índices de natalidade. Por exemplo, em um país da América do Sul, “as mulheres analfabetas têm, em média, 6,5 filhos, e as que têm 2.° grau, 2,5, em média”, diz o Times.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

GASTOS MILITARES

“Será que os gastos militares promovem ou impedem o crescimento econômico?”, pergunta o periódico UN Chronicle. O informe do Chronicle sobre um estudo preparado por peritos de 13 países comenta que, “a longo prazo, os custos de elevados gastos militares são quase que invariavelmente negativos”. Os gastos militares, mesmo onde inicialmente foram criados empregos e aumentou a demanda de produtos, terminam sendo prejudiciais à economia duma nação, “porque desviam enormes quantidades de capitais de investimentos de outras áreas produtivas”, tais como da construção de moradias. Ao passo que os sistemas de previdência e de seguridade sociais têm conseguido sustentar-se na maioria das nações ocidentais, o peso dos gastos militares tem sido devastador para tais serviços nos países em desenvolvimento. “Quanto mais pobre o país, mais negativo é o impacto dos gastos militares sobre sua economia, e ainda mais sobre a previdência social”, comenta o Chronicle. E acrescenta: “A cada três horas, o mundo gasta US$ 300 milhões para fins militares. Com essa soma, cada uma das crianças do planeta poderia ser imunizada contra doenças mortíferas.”